Empreendedorismo feminino: 4 histórias inspiradoras

Conheça 4 histórias inspiradoras de mulheres empreendedoras no ramo da alimentação!

A rotina de uma pessoa empreendedora é repleta de desafios. Quando a pessoa que está à frente do empreendimento é uma mulher, as dificuldades costumam ser ainda maiores.

É comum encontrar mulheres empreendedoras que conciliam a rotina com os cuidados com a casa e a maternidade. Além disso, o preconceito estrutural é outro problema enfrentado por aquelas que se arriscam no mundo dos negócios.

A boa notícia é que o empreendedorismo feminino tem ganhado mais espaço. No Brasil, já são mais de 30 milhões de mulheres à frente dos seus próprios negócios.

Se você também está pensando em empreender no ramo da alimentação, confira essas 4 histórias inspiradoras de empreendedorismo feminino.

1. Roberta Abud

A Roberta consolidou uma carreira em uma multinacional. No entanto, sentia-se frustrada por estar longe da família. Ao notar que sua filha estava distante da mãe, a Roberta tomou a difícil decisão de pedir demissão e ficar mais próxima de sua família.

Foi em uma véspera de Natal que a Roberta colocou seu talento de confeiteira em prática e produziu 100 caixas de brownies para vender. O sucesso foi tanto, que logo depois a Roberta deu vida à Maria Mariah Gourmeteria, sua própria empresa de doces artesanais. Logo mais, ela abriu seu atelier de doces com delivery.

Com o negócio funcionando, a Roberta viu a oportunidade de ajudar outras mulheres a alcançarem a independência. Foi aí que ela criou seu primeiro curso online de empreendedorismo e gestão na confeitaria, em que já formou mais de 7 mil mulheres.

Hoje a Roberta é também é proprietária da Escola Doces Negócios — a primeira escola de empreendedorismo para confeiteiros do Brasil. Além disso, ela está mais próxima da sua família e de outras diversas famílias que vivem da confeitaria.

2. Maísa Lopes

A história da Maísa Lopes com a culinária começou em um espaço diferente. Junto com seu pai e irmão, ela começou a empreender em uma empresa de manutenção de equipamentos de cozinhas profissionais. Foi quando ela teve um contato direto com os bastidores de restaurantes de segmentos diversos.

Pouco depois, a Maísa abriu seu próprio negócio e começou a atuar como consultora. Hoje ela utiliza seu canal no YouTube, Chef Planet, para ensinar pessoas a empreenderem com gastronomia. Ela também é sócia do Chef App, um aplicativo que auxilia no controle de estoque de restaurantes.

O empreendedorismo fez com que Maísa se sentisse uma mulher mais forte. “Me sinto muito mais preparada para enfrentar os desafios do dia a dia e, melhor, me sinto realizada em fazer o que faço hoje”. Além de fazer o que gosta, uma das satisfações de Maísa vem do fato de poder ajudar outras pessoas.

[rock-convert-cta id=”3414″]

3. Dona Suzana

O RéRestaurante da Dona Suzana é destino obrigatório na cidade de Salvador, capital da Bahia. Cozinhar é uma tarefa que fez sempre parte da sua vida. Mesmo quando ainda morava com seus pais, ela era responsável por cozinhar para ajudar a família.

Depois do seu casamento, a Dona Suzana começou a trabalhar como lavadeira para complementar a renda. Foi quando recebeu uma grande encomenda de marmitas para alimentar funcionários de uma obra que estava sendo realizada nas redondezas. Acontece que a Dona Suzana nunca recebeu por essa encomenda.

A frustração foi tanta, que Dona Suzana disse que não venderia mais comida. Mas seu tempero não foi esquecido. Artistas que frequentavam a região começaram a procurar a Dona Suzana em busca dos seus pratos. Logo ela espalhou algumas mesas para atender as pessoas e assim nasceu o RéRestaurante da Dona Suzana.

O cardápio com pratos típicos da Bahia ganhou visibilidade nos jornais e também nas telas. A história de Dona Suzana foi contada no documentário Street Food, da Netflix — o que contribuiu ainda mais para o sucesso do RéRestaurante.

4. Regina Tchelly

Regina é natural da Paraíba e se mudou para o Rio de Janeiro aos 20 anos, onde trabalhou como empregada doméstica por um tempo. O sonho de ser cozinheira sempre foi latente. Foi aí que Regina uniu o seu sonho com o inconformismo ao ver comida sendo jogada fora.

Mesmo conciliando trabalho e maternidade, a Regina decidiu investir seu tempo para aprender culinária. Ela explorou novas possibilidades na cozinha com ingredientes que poderiam ir para o lixo. A Regina reuniu algumas mulheres para um encontro sobre reaproveitamento de alimentos, e foi aí que começou a surgir o Favela Orgânica.

O projeto Favela Orgânica promove a ideia de um consumo consciente, além de apoiar pequenos produtores, comércio de produtos orgânicos e feiras. Com o projeto, Regina conquistou o prêmio “Donne Che Ce L’Hanno Fatta” (Mulheres que Conseguiram) na Conferência Mundial das Mulheres.

Os desafios apresentados pelo empreendedorismo feminino são enfrentados dia a dia pelas mulheres que buscam não só sua independência, mas a realização de seus sonhos profissionais. Apesar disso, essas mulheres empreendedoras estão conquistando seu espaço em diferentes segmentos.

Além do empreendedorismo autônomo, o espaço das mulheres no mercado de trabalho também tem se consolidado em outras empresas. O iFood, por exemplo, tem um compromisso social de incluir 50% de mulheres nos cargos de liderança até 2025, sendo 35% nos cargos de alta liderança.

Uma pesquisa do Sebrae mapeou o perfil das mulheres empreendedoras e indicou que 17,9% consolidam seu negócio no ramo da alimentação. Esse segmento apresenta crescimento, principalmente se considerar o serviço de delivery. Isso porque 78% das pessoas que fizeram alguma compra online, pediram comida.

Investir no ramo da alimentação pode ser a porta de entrada para o universo do empreendedorismo feminino. Se você quer um pouco mais de inspiração, confira os nichos em alta no delivery.

Sentiu falta de ver alguma história nessa lista? Conte aqui nos comentários o nome de outras empreendedoras que inspiram você!

Por iFood

Por iFood

5 respostas

  1. Uma parceria que não funciona, estou a dias tentando falar com vcs, e nenhum canal que está disponível me dá retorno. Ifood se nenhum suporte técnico.

  2. Oi boa tarde estou tentado fazer o meu cadastro pq eu errei o email mais não estou conseguindo aí vou lá pra cadastra de novo fala pra mim entra em contato com suporte do iFood mais até agora não consegui como faço ?

  3. Me chamo Cristiane e gostaria de pedir uma sugestão do que fazer p/começar a empreender a partir de casa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

12/04/2024

Melhoria Contínua no Atendimento do iFood: conheça o Botão de Ajuda

12/04/2024

Aprenda a técnica food porn para caprichar nas fotos de comida

11/04/2024

Feedback do cliente: saiba como tirar proveito