5 forças de Porter: para que servem e como aplicar?

Conheça as 5 forças de Porter e descubra como elas podem ajudar no processo de tomada de decisão no seu empreendimento!

As 5 forças de Porter formam um conceito essencial para entender a dinâmica do mercado em qualquer nicho de atuação. O modelo de análise competitiva, criado por Michael Porter, é um guia superimportante para ajudar as empresas a compreenderem o ambiente em que operam, posicionando-se melhor diante da concorrência.

Portanto, ao não levá-las em consideração no seu negócio, você pode correr o risco de subestimar outros estabelecimentos e de superestimar a demanda pelo seu produto e/ou serviço. O contexto tende a gerar tomadas de decisões estratégicas equivocadas, que podem comprometer os seus resultados.

Continue a leitura e saiba como as 5 forças de Porter podem ser aplicadas para aprimorar as iniciativas do seu empreendimento!

O que significam as 5 forças de Porter?

Entender o que são as 5 forças de Porter pode fazer toda a diferença para o seu empreendimento. Como introduzido, o conceito remete a uma estrutura analítica que visa a avaliar a competição dentro de um mercado.

A teoria é baseada em cinco fatores diferentes que influenciam o nível de concorrência na indústria. A ideia é de que, a partir da compreensão do modo como cada uma das forças vem afetando o seu estabelecimento, será possível criar uma estratégia mais eficiente e competitiva.

De acordo com Victor Macambira, sócio-fundador da GASS Company, “(…) a taxa de mortalidade das empresas é muito alta, e a falta de conhecimento é um dos principais fatores que impactam esse cenário”. Por isso, o domínio das 5 forças de Porter pode gerar reflexos significativos no seu negócio.

forças de porter

Quais são as 5 forças de Porter?

Agora que você já sabe o que é a matriz de Porter — como o conceito também é conhecido —, é interessante ficar por dentro das principais forças a serem analisadas:

  • a ameaça de novos concorrentes;
  • a ameaça de produtos substitutos;
  • o poder de negociação dos fornecedores;
  • o poder de negociação dos clientes;
  • a rivalidade entre os concorrentes existentes.

1. Ameaça de novos concorrentes

A força aborda a facilidade ou a dificuldade de outras empresas entrarem no mesmo mercado em que você atua. Afinal, se não houver barreiras ao acesso, é provável que novos estabelecimentos concorrentes apareçam e aumentem a competição, o que pode ser desfavorável para o seu negócio.

Por outro lado, quando o acesso ao mercado é difícil, a tendência é de que a competição seja menor. Então, estamos falando de uma realidade benéfica para o aumento da sua lucratividade.

2. Ameaça de produtos substitutos

A ameaça de produtos substitutos tem a ver com a facilidade com que o público-alvo pode encontrar alternativas para aquilo que você oferece. Se houver muitas opções de soluções substitutas, é possível que as pessoas prefiram outros itens aos seus.

Ou seja, trata-se de um cenário que impacta negativamente os seus resultados. Contudo, segundo Victor Macambira, “(…) você é o único responsável pelo sucesso do seu negócio”.

3. Poder de negociação dos fornecedores

A força se refere à capacidade que empresas fornecedoras têm de influenciar os preços ou a qualidade dos insumos de que você precisa para produzir os seus produtos e/ou serviços.

Portanto, se o seu estabelecimento depende de um só empreendimento fornecedor — ou de poucos —, essa realidade tende a ser desfavorável. Afinal, a dependência pode fazer com que o seu negócio fique mais vulnerável ​​ao aumento de preços e/ou à escassez de insumos.

4. Poder de negociação dos clientes

A força envolve a capacidade que o público-alvo tem de exercer influência sobre os preços ou sobre a qualidade dos produtos e/ou dos serviços que você oferece. Quando tal “poder de intervenção” está presente, o seu empreendimento pode ser afetado negativamente.

5. Rivalidade entre os concorrentes existentes

Essa força aborda a intensidade da competição entre as empresas já estabelecidas no mercado. Afinal, quando os níveis de intensidade são altos, a tendência é de que seja difícil se destacar perante a concorrência e, assim, manter uma posição sólida.

Como usar as 5 forças de Porter?

O ideal é analisar cada uma delas e pensar em como podem afetar o seu empreendimento. Um exemplo das forças de Porter envolve a busca de um diferencial competitivo em um nicho com grande concorrência e alta rivalidade.

O mesmo é aplicável quando o público tem muito poder de negociação. Em casos assim, você pode oferecer benefícios para fidelizar as pessoas.

Inclusive, combinando as forças com outras ferramentas de análise, torna-se viável ter uma visão mais completa do mercado e traçar estratégias mais eficientes. Além disso, segundo Victor Macambira, “(…) saber equilibrar bem o empreendedor, o gestor e o líder dentro de você é o caminho para chegar ao sucesso”.

As 5 forças de Porter oferecem uma estrutura útil para analisar a competitividade no seu mercado de atuação. Contudo, você deve ter em mente que os segmentos mudam rapidamente. Ou seja, é importante acompanhar as tendências e as inovações para se destacar da concorrência.

Agora, se você também quer descobrir como encantar a clientela no delivery, confira o nosso material gratuito sobre o tema!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery