O que é ponto comercial e como escolher as melhores opções!

O que é um ponto comercial e como não errar na escolha? O que deve ser levado em conta? Confira neste conteúdo sobre o tema!

A escolha do ponto comercial de um negócio deve ser feita considerando fatores internos e externos, como a infraestrutura e as oportunidades de venda nos arredores. Também passa por essa escolha a negociação de custos, a fim de encontrar um espaço que não prejudique a saúde financeira do estabelecimento.

Negócios que trabalham com delivery têm critérios diferentes na escolha do ponto comercial. Enquanto um empreendimento que atende pelo salão deve preferir lugares com maior tráfego de pessoas, os negócios de delivery podem escolher lugares com menor tráfego, mas com um grande número de pessoas na região.

Cotninue a leitura para entender mais sobre os critérios de escolha do ponto comercial!

O que é ponto comercial?

O ponto comercial nada mais é do que a localização em que o estabelecimento está. Você provavelmente já se deparou com uma placa com os dizeres “Passa-se esse ponto” em alguma rua. Nesse contexto, o ponto da frase é, portanto, um ponto comercial.

É fundamental que o ponto comercial esteja instalado em um lugar estratégico para atender os clientes. Nesse sentido, um restaurante que tenha um salão, deve ser instalado em shoppings ou avenidas com grande circulação de pessoas.

Outro exemplo de negócio que se beneficia de áreas mais movimentadas é o drive thru. Dark kitchens e comércios alimentícios em geral que operam somente via delivery não têm essa obrigação, o que abre a possibilidade de adotarem até mesmo um ponto comercial pequeno.

Afinal, esses modelos de negócio não recebem os clientes na empresa, o que é uma vantagem para quem não tem ou não quer gastar muito dinheiro com aluguel em áreas movimentadas. Pensar em um projeto de planta de ponto comercial pequeno também é uma ideia interessante.

Outro fator que deve ser levado em conta é o que se vende: um restaurante que ofereça almoço via delivery, por exemplo, pode estar em uma rua mais tranquila, mas com empresas por perto. Isso porque ele poderá atender aos muitos funcionários dos negócios instalados nas proximidades.

Qual a importância de escolher um bom ponto comercial para o seu estabelecimento?

A localização é uma das principais referências atreladas ao negócio — assim como a comida é nos estabelecimentos alimentícios.

Além disso, ela também influencia a visibilidade do empreendimento e a facilidade para que as pessoas o encontrem, assim como estratégias de marketing para restaurante;

O bom ponto comercial nem sempre é aquele que se encontra em áreas centralizadas de grandes cidades. Tudo depende das suas preferências, necessidades e da divulgação do negócio. Algumas perguntas podem guiar a escolha:

  • a região escolhida é comercial ou residencial?
  • qual é o perfil financeiro do seu público-alvo?
  • há tráfego de pessoas ou só de carros?
  • a região é considerada segura?

Como escolher o melhor ponto comercial para o seu negócio?

Confira as principais dicas para não errar na escolha de um bom ponto comercial, de acordo com as necessidades do estabelecimento.

Conheça o público

A escolha do ponto comercial passa pelo entendimento de quem é o seu público-alvo. Uma iniciativa importante é definir a sua persona, uma representação semifictícia daquelas pessoas para as quais você quer vender.

Para elaborá-la, você precisa ter as seguintes informações:

  • dados demográficos e geográficos;
  • preferências alimentares;
  • ticket médio em seu empreendimento;
  • média salarial ou padrão de renda;
  • profissão;
  • princípios de vida (como pessoas que apoiam a sustentabilidade ou são veganas).

A partir dessa definição, será mais fácil orientar a procura por um ponto comercial. Além disso, a escolha também depende do tipo de atendimento: há atendimento no salão ou é somente delivery?

Verifique as condições de acessibilidade

Para aqueles que querem atender presencialmente, outro aspecto relevante para a escolha é o nível de acessibilidade daquele local — lembrando que esse termo tem diferentes significados.

O primeiro deles tem a ver com a facilidade de chegar até o local. Caso o ponto fique em uma região movimentada, será mais fácil chegar por diferentes meios de transporte. Ter estacionamentos por perto (ou um estacionamento próprio) também é um diferencial.

O outro significado de acessibilidade é a capacidade que o estabelecimento tem de atender bem pessoas com deficiências, gestantes, idosos e crianças. Nesse sentido, ter rampas e locais específicos para diferentes clientes é obrigatório.

Avalie o tamanho da cozinha

O espaço de preparo da comida deve ser atender às necessidades de cada negócio. Estabelecimentos maiores, que contem com um grande número de clientes ao mesmo tempo, precisarão de uma cozinha com o tamanho adequado para dar conta de toda a demanda.

Do mesmo modo, é preciso analisar se aquele espaço comportará todos os equipamentos necessários para fazer os pedidos. Não adianta muito priorizar um salão enorme e uma cozinha reduzida, que dificulte o trabalho dos cozinheiros.

Entenda se o espaço tem acesso facilitado para funcionários

O estabelecimento deve funcionar em um local que seja acesso facilitado para que os funcionários cheguem a tempo e não precisem ficar horas no trânsito. Por isso, converse com a sua equipe de confiança antes de fechar negócio com um locatário — ou de comprar um imóvel.

Afinal, se você já conta com um time em que confia e que quer crescer junto com o negócio, não é uma boa ideia escolher um lugar que fique muito longe de onde eles moram. Isso os desmotivará e será difícil reter os talentos.

Por falar em comodidade de colaboradores e parceiros: se a intenção é oferecer delivery, é essencial que os proprietários verifiquem se há um espaço preparado para receber entregadores.

Analise concorrentes

A análise da concorrência não deve ser baseada apenas na ausência de outros estabelecimentos alimentícios no local. Esse estudo também deve levar em conta a demanda e o serviço prestado pelos competidores.

Uma avenida que tem diversos restaurantes, bares, marmitarias e lanchonetes pode, perfeitamente, ter espaço para mais um. Isso porque não há a garantia de que aqueles estabelecimentos estejam atendendo à demanda de pessoas que circulam por ali.

Um exemplo: uma avenida que tem diversos estabelecimentos alimentícios, mas com longas filas em todos eles. Isso significa que há espaço para explorar esse excedente de pessoas.

Do mesmo modo, nem sempre os comércios da área são bem avaliados pelos clientes na internet, o que abre espaço para concorrentes mais bem preparados. Uma dica é checar as opiniões das pessoas nas redes sociais desses competidores.

Por outro lado, escolher uma área com muitas lojas bem-conceituadas traz mais desafios para o empreendedor, uma vez que será mais difícil pegar uma fatia do mercado naquele local.

Contudo, pelo próprio fato de a área ser bem movimentada, pessoas de diferentes perfis passam por ali, então sempre há a chance de explorar uma lacuna de mercado.

Planeje o orçamento do aluguel

Você saiu à procura e encontrou um ponto, aparentemente, perfeito. Contudo, o preço do aluguel nos primeiros meses é bem alto e pesado para o seu orçamento — uma vez que é preciso lembrar que esse montante também custeará outros gastos.

A decisão de investir nesse ponto é da pessoa empreendedora. Talvez você tenha uma equipe renomada e acredite que o lucro virá logo ou então prefere procurar um ponto mais barato. O essencial é analisar se os gastos estão dentro do seu orçamento.

É preciso lembrar que o aluguel é uma das despesas fixas, ou seja, não pode ser contornado. Logo, pode ser muito perigoso começar o negócio com o orçamento já bem comprometido. Também analise se você tem capital suficiente para manter o negócio aberto nos primeiros meses de funcionamento.

Avalie a infraestrutura e a possibilidade de crescimento

Caso você tenha a ambição de expandir o espaço físico do seu negócio, mas o imóvel seja alugado, é preciso consultar essa possibilidade com a pessoa proprietária logo de início. Veja o que diz o artigo 23 da Lei do Aluguel:

Art. 23. O locatário é obrigado a:

VI – não modificar a forma interna ou externa do imóvel sem o consentimento prévio e por escrito do locador.

Portanto, mesmo que o seu negócio conquiste a clientela nos primeiros meses, será preciso acertar as condições com a pessoa proprietária logo no início. Caso esse artigo não seja respeitado, o contrato pode ser suspenso pela pessoa dona do imóvel.

Assim, além de checar se há espaço para a expansão física do empreendimento, é preciso conversar com ela. Até porque ela também pode concordar com a ideia de reformar o imóvel como uma forma de valorizá-lo.

As instalações elétricas e hidráulicas também não podem ser negligenciadas. A ausência de um bom projeto elétrico pode aumentar o consumo e torná-lo excessivamente caro. Já tubulações malfeitas são uma das principais fontes de problemas como água fria e vazamentos.

Confira se o espaço tem estacionamento

Na questão do tráfego, um dos riscos é a área ser considerada movimentada por conta de um trânsito intenso e não pela circulação de pessoas. Caso não tenha um estacionamento por perto, será difícil atrair a clientela.

Esse problema também se estende aos colaboradores que achem mais cômodo dirigir até o estabelecimento para trabalhar — e é preciso manter os carros em segurança.

Verifique o espaço para outras atividades

Gestores de estabelecimentos que queiram oferecer um espaço para crianças ou um lugar para eventos ao vivo, como a apresentação de músicos, devem checar se há essa possibilidade no imóvel pretendido.

Por fim, verifique se a localização escolhida garante que o estabelecimento não passe despercebido. Um imóvel pequeno e escondido entre prédios altos pode acabar não sendo notado. Nesse sentido, apostar no marketing estratégico é uma ótima ideia para melhorar a visibilidade.

Agora que você sabe o que é ponto comercial, já entende que a escolha passa não somente pelo local no qual ele está localizado, mas também pelas necessidades do negócio. Estabelecimentos que operem somente via delivery não precisam se preocupar tanto com a localização desde que tenham uma boa cobertura e demanda pelos pedidos na região.

Aproveite e confira os 8 passos essenciais para atingir o sucesso na gestão financeira do seu restaurante!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

22/04/2024

Como montar um restaurante pequeno? Confira 8 passos

20/04/2024

Como calcular a margem de contribuição do seu negócio?

19/04/2024

Qual a diferença entre lucro presumido e lucro real? Descubra!

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery