Custos indiretos: o que são e qual a diferença para os custos diretos?

Você sabe o que são custos indiretos? Descubra, neste post, como categorizar os custos do seu estabelecimento e melhorar a gestão financeira!

Ter algum conhecimento sobre custos indiretos e diretos é importante quando você abre um negócio ou trabalha em um cargo gerencial de um estabelecimento. Sem esse conhecimento, fica difícil fechar as contas corretamente ao final do período de apuração.

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Custo é todo tipo de gasto que um negócio tem para produzir o que vende. Alguns custos são fáceis de apontar, como é o caso dos custos diretos. No entanto, outros podem passar despercebidos, ou pode até parecer que não devem ser levados em conta — quando, na verdade, devem.

Neste post, você vai entender melhor o que são os custos indiretos, sua importância e o que os diferencia dos custos diretos. Acompanhe!

O que são custos indiretos?

Os custos indiretos são aquelas despesas que não têm uma ligação tão explícita com os serviços ou produtos oferecidos. Apesar disso, eles costumam ser importantes para o funcionamento da empresa como o aluguel, energia elétrica, entre outros.

Gestores e empreendedores precisam entender a natureza dos custos para fazer uma boa gestão financeira — inclusive em estabelecimentos do setor alimentar. A depender dessa natureza e de alguns fatores, os custos podem (e muitas vezes devem) ser reduzidos para garantir um aumento da lucratividade.

Até mesmo o cafezinho disponibilizado para os colaboradores, por exemplo, tem sua importância. Ele pode aumentar a produtividade e o bem-estar da equipe, tanto pelo efeito da cafeína como pela sensação agradável de tomar um café.

Essa prática de disponibilizar café para os funcionários representa um custo indireto. Isso porque o dinheiro investido na compra de café, na máquina e em outros recursos não é diretamente ligado à atividade principal do estabelecimento — mesmo que o estabelecimento seja uma cafeteria, já que o café servido aos funcionários não está sendo vendido.

Confira mais alguns exemplos de custos indiretos

Para melhor compreensão sobre o assunto, é importante pensar em alguns exemplos práticos. O aluguel é um exemplo importante de custo indireto. Muitos donos de estabelecimentos não são proprietários da unidade física. Comumente, para que o estabelecimento produza os itens do seu cardápio, é necessário que o dono pague o aluguel da área em que essa produção acontece.

Não é possível dizer precisamente qual a parcela do custo do aluguel representa em cada produto, já que todos os itens estão utilizando a mesma área. Por isso, o aluguel seria um custo indireto.

Outros exemplos de custos indiretos importantes para o setor alimentar são:

  • energia elétrica consumida pelo estabelecimento durante as atividades;
  • manutenção de equipamentos e máquinas;
  • mão-de-obra indireta realizada pelos demais colaboradores;
  • materiais indiretos, como os equipamentos de cozinha.

Qual a diferença entre custos diretos e indiretos?

Os custos diretos são aqueles que têm relação direta com o produto ou a atividade principal de uma empresa. Enquanto isso, os indiretos, como você já sabe, são os que não têm essa ligação estreita com os serviços e produtos vendidos, mas fazem parte do funcionamento do negócio.

Retomando o exemplo anterior do café servido aos colaboradores, os recursos utilizados para isso representam custos indiretos, mesmo que o café seja a especialidade da casa. Porém, os recursos utilizados para preparar café para os clientes que pedem essa bebida representam custos diretos.

É importante ressaltar que um item de custo ou insumo específico pode assumir classificações diferentes em contextos distintos. Por exemplo, a energia elétrica de uma lanchonete normalmente é consumida por todo o estabelecimento, e seu custo total é mensurado por meio de estimativas. Nesse caso, a energia elétrica é um custo indireto.

No entanto, considere uma situação em que a lanchonete decida instalar medidores em cada máquina e resolva que cada uma seja usada somente no preparo de determinado alimento. Nesse caso, a energia elétrica vira um custo direto, já que é possível controlar seu gasto, vinculando-o diretamente ao objeto de custeio.

Entender essas nuances é de grande importância para uma boa gestão de restaurante, lanchonete, bar ou similar. A administração das finanças se torna muito eficaz quando se tem uma compreensão aprofundada da maneira como cada demanda interna influencia nas despesas e nos lucros.

Qual a importância dos custos indiretos?

Entender a natureza e as implicações dos custos indiretos permite uma gestão empresarial mais eficiente, já que facilita o controle rigoroso sobre os custos. Quando não há critérios bem definidos para a análise das finanças, são abertas brechas para que elas saiam do controle, o que prejudica a empresa.

Um gestor precisa não apenas ter conhecimento sobre os valores reais que incidem sobre cada unidade de produto que produz e vende, mas também sobre os valores envolvidos de forma indireta no funcionamento do negócio. Isso traz uma série de vantagens, como:

  • aumento da eficácia do estabelecimento em termos de contabilidade;
  • informações e entendimento para fazer uma precificação de produtos mais adequada e eficiente;
  • planejamento mais seguro e bem orientado dos próximos passos da empresa, considerando os gastos;
  • noção de quando é possível fazer o rateio para calcular o custo de cada unidade;
  • maior precisão nas análises;
  • prevenção de problemas financeiros.

Como fazer o rateio dos custos indiretos?

É crucial para o estabelecimento saber quanto é gasto nos custos indiretos, pois assim é possível calcular o que precisa ser inserido no valor do serviço ou produto para que a conta feche sem prejuízos — e, preferencialmente, com saldo positivo. O cálculo, nesse caso, deve ser feito por meio de rateio.

No contexto dos custos indiretos, o rateio é a divisão proporcional dessas despesas. Uma vez que se sabe o montante que elas representam, é preciso dividi-lo entre a quantidade de itens a ser comercializados no período para que o empreendimento não tenha prejuízo — a meta é obter uma receita que supere as despesas.

Saber o que são custos indiretos e como administrá-los é fundamental para garantir a prosperidade e saúde financeira do seu estabelecimento. Por isso, não se esqueça de colocar em prática as informações que aprendeu aqui e aprimorar sua estratégia financeira, de modo a intensificar as vendas e a lucratividade do negócio.

Por falar em estratégia, que tal se aprofundar nisso e aprimorar sua gestão? Entenda agora o que é e como construir o planejamento estratégico do seu negócio!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

12/07/2024

Estratégias de mercado e inovação: um mergulho no Encontro de Embai...

12/07/2024

Descubra como conquistar o selo de Melhor Serviço e destaque-se nas...

12/07/2024

Aperte o play: o Papo de Mercado começou!

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery