O que é precificação de produtos e como fazer corretamente!

Descubra, neste post, como fazer a precificação de produtos correta dos itens vendidos pelo seu estabelecimento!

precificação de produtos é uma etapa que exige bastante atenção dos gestores de negócios do ramo alimentício. Uma falha nesse processo pode determinar preços muito altos ou muito baixos nos seus produtos, o que não é interessante para o empreendimento.

Sem tempo para ler? Clique no play para ouvir este conteúdo!

Um cardápio com preços exorbitantes pode impedir a atração de novos clientes; enquanto um menu com preços muito baixos pode impactar na sua margem de lucro. Por isso, não é recomendável negligenciar os critérios de precificação de produtos.

Se você quer iniciar a etapa de precificação dos produtos do seu negócio, continue a leitura deste post e conheça todos os critérios que devem ser observados.

O que é precificação de produtos?

A precificação é uma etapa praticada pelos negócios que buscam definir o valor de venda dos produtos e é essencial para uma boa gestão de restaurantes. Ela abrange os custos diretos e indiretos, períodos sazonais, mão de obra, além da margem de lucro do estabelecimento.

Alguns fatores que influenciam no preço são a demanda, os insumos fornecidos, a situação econômica do empreendimento, os custos envolvidos, a existência ou não de concorrentes e a qualidade do produto.

Como fazer a precificação corretamente?

É preciso conhecer alguns conceitos importantes que rodeiam esse mundo, como a diferença entre preço e valor, o que é custo de aquisição, as despesas fixas e as variáveis, a margem de lucro, entre outros. Veja algumas dicas de como fazer a precificação dos seus produtos!

Calcule o custo por unidade

O cálculo do custo aquisição por unidade do produto é um dos primeiros passos para precificar corretamente. Esse valor se refere ao investimento que o empreendimento faz para adquirir cada unidade.

Esse conceito também pode ser chamado de custo unitário direto, e a operacionalidade de qualquer estabelecimento alimentício depende desses custos. Normalmente, uma boa gestão empresarial conta com um setor de compras e estratégias capazes de minimizar gastos desnecessários e garantir investimentos inteligentes nesse sentido.

Contabilize as despesas

Existem dois tipos de despesas: as fixas e as variáveis. É essencial conhecer cada uma para fazer a precificação de produtos de maneira adequada.

As despesas fixas representam os gastos que podem ser previstos por serem recorrentes todo mês. Por serem fixos, é possível separar o dinheiro do caixa ou, até mesmo, colocar essas despesas em débito automático, visto que esses gastos devem ser pagos independentemente do faturamento e do lucro mensal.

Alguns exemplos de despesas fixas são as contas de energia elétrica, telefone e internet, o aluguel, o IPTU e a folha de pagamento de funcionários. Despesas assim jamais podem ser desconsideradas na gestão financeira.

As despesas variáveis diferenciam-se da categoria anterior por não serem fixas, como o nome sugere. Exatamente por isso, é mais difícil prever a sua incidência nas contas do negócio, assim como a sua influência no lucro final. Entre elas, estão as manutenções no estabelecimento e nos equipamentos, as compras de última hora, valores referentes a comissões e taxas de cartão de crédito.

Defina e respeite a margem de lucro

Para iniciar a determinação da margem de lucros, o primeiro passo é questionar-se quanto você pretende ganhar com as vendas do seu estabelecimento. A partir disso, você tem um ponto norteador inicial.

Para entender se o seu objetivo de lucro é coerente com o mercado de atuação, faça uma pesquisa de valores praticados pelos concorrentes. Considerando a margem habitual de preços, some os gastos e despesas, acrescente a sua margem de lucro e garanta que o valor final não é discrepante.

Entendendo o markup

O markup é um índice que deve estar presente na sua planilha de precificação de produtos. Por meio do cálculo desse índice, é possível perceber os custos e os lucros do negócio.

A base de cálculo é o custo de produção — tudo aquilo que você gastou para produzir o produto. Em caso de revenda, o custo é o que você gastou para ter aquele item em seu estabelecimento.

Para precificar, por exemplo, uma lata de refrigerante, considere os seguintes indicadores:

  • preço unitário de venda: 100%;
  • despesas fixas: 15% sobre a venda;
  • despesas variáveis: 20% sobre a venda;
  • margem de lucro: 12%;
  • custo da lata: R$ 2.

No caso hipotético, o cálculo do markup é feito por meio da fórmula:

M (markup) = 100÷100 – (despesas fixas + despesas variáveis + margem de lucro)

Portanto:

M = 100 / [100 – (15 + 20 + 12)]

M = 100 / (100 – 47)

M = 100/53

M = 1,88

Por último, deve-se multiplicar o markup (M) pelo custo de produção, para se obter o preço de venda por unidade:

PVU (preço de venda unitária) = custo de produção X markup

PVU = 2 x 1,88

PVU= R$ 3,76 (cada lata)

Esse preço de venda unitária considera os custos do estabelecimento comercial e já inclui a margem de lucro desejada.

Estude o mercado

Pensar em números sem considerar o contexto mercadológico pode não ser o melhor caminho. Então, pesquise bem e defina um preço de venda que seja compatível com o mercado e com os seus concorrentes.

Ao considerar a situação para a precificação de produtos, considere a sazonalidade, a especialidade de determinados estabelecimentos e algumas campanhas de venda que podem influenciar o preço — tanto o seu como o dos concorrentes. Evite pensar na “exceção como regra” e observe o panorama como um norte para precificar os seus itens.

Faça a precificação reversa

Outra dica que você pode seguir para definir os preços dos seus produtos corretamente é realizar a precificação reversa dos produtos. Essa estratégia consiste em utilizar um raciocínio inverso: a partir do preço ideal do produto e do seu CMV (Custo da Mercadoria Vendida), você deve definir ações a serem realizadas para que esse custo caiba no preço definido.

Calcule a margem de contribuição

A margem de contribuição é mais um indicador importante, que ajuda na precificação e nas finanças de estabelecimentos alimentícios. Essa conta é mais simples:

Margem de contribuição = valor das vendas – (custos variáveis + despesas variáveis)

Esse cálculo permite, ao empreendedor, entender quando é possível mexer no preço e quando é melhor manter como está. É uma boa opção, também, utilizar a margem de contribuição para perceber a quantidade de vendas que ainda é necessária para atingir o ponto de equilíbrio do negócio.

Realizar a precificação de produtos de modo correto é fundamental para melhorar os seus resultados. Ao realizá-la corretamente, o seu negócio pode praticar um preço justo e garantir bons lucros.

Se você quer uma ajuda a mais para precificar seus produtos, baixe gratuitamente a planilha de precificação do iFood!

Por iFood

Por iFood

35 respostas

  1. Yesterday, while I was at work, my sister stole my apple ipad and tested to see if it can survive a forty foot drop, just so she can be a youtube sensation. My iPad is now destroyed and she has 83 views. I know this is entirely off topic but I had to share it with someone!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

20/06/2024

Marketing para restaurantes: especialista mostra como começar

19/06/2024

Como funciona o Imposto de Renda MEI?

18/06/2024

IRPJ: confira o guia completo sobre essa declaração

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery