O que é e quais os benefícios do slow food?

Você já ouviu falar do movimento slow food? Leia este post para entender o conceito e seus principais benefícios!

Com a correria do dia a dia, às vezes não sobra tempo para fazer uma refeição saudável. É comum que as pessoas optem por alimentos processados, fast-food ou comida descongelada no micro-ondas. Mas o slow food vai de encontro a essa tendência.

O movimento foi criado em 1986 por Carlo Petrini. Para você que tem o próprio negócio no ramo alimentício ou deseja empreender nesse sentido, vale a pena ficar de olho nessa modalidade — e, possivelmente, aderir.

Acompanhe o post para saber mais!

O que é o slow food?

Slow food significa “comida lenta” em sua tradução literal, o que verdadeiramente coloca o movimento na contramão do fast-food, cujo nome é traduzido como “comida rápida”.

O conceito defende a diminuição do ritmo frenético da vida moderna, principalmente na área da alimentação. Ou seja: a ideia é alimentar-se com calma e saborear o momento. Além disso, o movimento slow food promove uma gastronomia sustentável, ética, consciente e justa.

Você já deve ter percebido que as principais tendências alimentares do momento seguem um caminho semelhante, a exemplo da busca por alimentos orgânicos, saudáveis e sustentáveis, que valorizam a origem da matéria-prima e o produtor local. Outro exemplo é o comfort food, que visa um apelo à emoção e à nostalgia.

Essas tendências apontam para necessidades crescentes na sociedade, como a de tornar a refeição algo que vá além do ato de saciar a fome, e é provável que permaneçam em alta nos próximos anos. Portanto, conhecer o slow food e colocá-lo em prática pode ser positivo para o seu negócio e para o seu público.

Quais os principais benefícios do movimento?

Muitas pessoas estão bastante acostumadas com um estilo de vida corrido e, quando se trata de food service, até preferem o fast-food e opções semelhantes. No entanto, esse ritmo causa incômodo em muitas pessoas, e propor algo diferente disso pode tornar seu negócio uma solução para o problema desse público.

Confira, a seguir, os principais benefícios da modalidade slow food.

Mudança na relação com a comida

Quando você faz com que uma refeição seja algo além de simplesmente ingerir comida, transforma isso em uma verdadeira experiência. Estando acompanhado ou não, e seja no jantar, seja no almoço, o ato de se alimentar pode virar um momento agradável e relaxante.

Preservação do meio ambiente

Poluentes, agrotóxicos e devastação da biodiversidade — toda essa forma de produção em massa destrói o planeta, apenas para que refeições teoricamente mais em conta estejam na mesa do consumidor.

O uso desenfreado de conservantes precisa ser reduzido, bem como a quantidade de produtos industrializados, com excesso de carboidratos e baixo teor nutricional. No fim, essas alternativas mais baratas custam caro para o meio ambiente.

A vantagem do slow food é que ele é adepto à agroecologia, outro conceito que valoriza a produção sustentável. Ou seja, a natureza é respeitada, e não é preciso colocar conservantes na comida para que ela dure, ou aromatizantes para ficar mais agradável.

Apoio aos comerciantes locais

Quando os clientes passam a priorizar produtores e empreendimentos locais, artesanais e menores, fugindo da lógica das grandes empresas de fast-food, estão apoiando o comércio local. Além disso, o consumidor sentirá que está contribuindo de verdade com a vida e manutenção dos seus estabelecimentos alimentícios preferidos.

Benefícios para a saúde

Comer sem pressa e devagar, utilizando alimentos de qualidade, faz muito bem para o organismo, que pode até fazer uma melhor digestão. Isso contribui, ainda, para a saúde mental, já que o momento de comer é, também, um momento de aproveitar sensações, relaxar e aprofundar vínculos — quando se tem companhia.

Quais são as três principais missões do slow food?

O principal objetivo do slow food é combater a padronização da alimentação na sociedade. Vale ressaltar que os conhecimentos gastronômicos reunidos até o momento estão relacionados com iniciativas políticas ao redor do mundo, com as decisões relacionadas ao meio ambiente, agricultura, saúde e à ecologia em geral.

Nesse sentido, as principais missões do slow food são sintetizadas nos seguintes termos:

  • bom: a comida deve ser fresca e de qualidade;
  • limpo: é necessário que o alimento seja produzido em meio a práticas sustentáveis, preservando o meio ambiente;
  • justo: o preço deve ser acessível, com condições dignas e justo, além de livre de exploração ambiental, animal e humana.

Ou seja, o objetivo do movimento é promover maior degustação e apreciação da comida. Além disso, ele luta por uma melhoria na qualidade dos produtos e por uma produção que valorize não só o alimentos, mas também o meio ambiente e o produtor.

Por que é uma boa oportunidade de negócio?

Qualquer empreendimento pode adotar o conceito slow food. Para isso, é necessário fazer escolhas mais sustentáveis e conscientes e, também, cozinhar com mais dedicação, prazer e paciência, dando o devido valor a esse momento. Resumindo, não ter pressa e aproveitar o momento de preparar a comida também faz parte desse movimento.

Para colocar em prática a filosofia do slow food, é importante que o empreendedor faça a sua parte no momento de produzir e comercializar os seus itens. Sendo assim, opte por matérias-primas mais saudáveis e puras, além de oferecer ao cliente todas as informações sobre o seu produto, garantindo que eles saibam como as receitas são feitas, quais são os produtores, entre outras informações pertinentes.

Se todas essas informações forem divulgadas de forma correta, podem atrair ainda mais clientes para o seu estabelecimento. Por isso, não hesite em publicar nas suas redes sociais, por exemplo, que você está usando alimentos orgânicos, que está comprando de um produtor local e que, no momento de preparar a comida, faz isso com dedicação, apreço e calma.

Além disso, vale destacar que o conceito slow food valoriza todo o ciclo do alimento, o que inclui cultivo, cozimento e consumo. Portanto, não se esqueça de fazer boas escolhas durante esse processo, selecionando produtos sustentáveis, saudáveis e que valorizem a produção local.

Muitas vezes nos sujeitamos a consumir comida rápida, que pouco valoriza funcionários e produtores envolvidos no processo preparação. O slow food é o oposto disso tudo. O movimento defende que a sociedade valorize a comida, o tempo reservado à alimentação no dia a dia e toda a cadeia de produção envolvida.

Aproveite a visita ao blog para entender o que é food safety e por que se preocupar com isso!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/04/2024

Não julgue APENAS pela casca: veja como escolher os melhores legume...

23/04/2024

Embalagem de produtos: transformando compras em experiências

23/04/2024

Conheça 4 molhos para macarrão que são deliciosos