O que é Food Safety e por que se preocupar com isso? Entenda

Conheça o food safety e saiba como implementar esse conceito no seu negócio! Os benefícios se refletem na empresa, clientes e colaboradores!

Já ouviu falar sobre food safety? Esse é um termo que precisa ficar guardado na memória de qualquer pessoa que deseja trabalhar no ramo alimentício, principalmente montando o próprio negócio.

Isso porque a segurança alimentar é um tópico fundamental para a preparação dos pratos. É isso que vai garantir que um negócio de alimentação não proporcione nenhum malefício para os consumidores, especialmente no que diz respeito à saúde e ao bem-estar.

Continue a leitura deste post e conheça as melhores práticas para se ter no negócio e garantir a segurança alimentar no dia a dia!

O que é food safety?

Food safety é o termo em inglês para segurança alimentar. Esse conceito descreve a necessidade de entender o que é preciso para prevenir a contaminação e o comércio inadequado de alimentos. Estabelecimentos do ramo alimentício precisam ter atenção às práticas de higienização, armazenamento e preparo dos alimentos para garantir sua saudabilidade.

[rock-convert-cta id=”5242″]

O ramo da alimentação lida diretamente com produtos que podem impactar a saúde de uma pessoa. Os ingredientes utilizados na preparação dos pratos, as porções de cada nutriente envolvido nas receitas, a higienização dos alimentos, a validade, o modo de preparo, entre vários outros pontos, são relevantes para proteger um consumidor.

Qual a sua importância?

Infecção alimentar, aumento das chances de desenvolver doenças crônicas, intoxicação por alguma substância, alergias entre muitos outros riscos. São vários os problemas que uma pessoa pode ter quando tem contato com um alimento que não passa pelos critérios de food safety.

Todos esses exemplos são capazes de proporcionar, no mínimo, um desconforto aos consumidores. Além de ser desagradável, não cuidar da segurança alimentar em um estabelecimento é extremamente prejudicial para a reputação do local.

Problemas de segurança do alimento também envolvem questões legais. Desse modo, os negócios que não dão atenção à food safety podem passar por processos judiciais, pagar multas e, inclusive, receber ordem de fechamento provisório ou definitivo.

Por esse motivo, é fundamental que a rotina de um restaurante, uma lanchonete ou qualquer outro tipo de estabelecimento que pertença ao setor alimentício — seja industrial, seja comercial — adote medidas sanitárias corretas e consistentes

O que diz a lei sobre food safety?

No Brasil, o principal órgão responsável por gerar as condutas mais adequadas, fiscalizar a aplicação nos estabelecimentos dos mais variados nichos e realizar a inspeção sanitária é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Entenda mais sobre as leis que o seu negócio precisa cumprir!

Resolução RDC nº 216

O Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação, também conhecido como Resolução RDC nº 216, estabelece as principais exigências da Anvisa sobre os processos básicos do dia a dia de um estabelecimento alimentício, como:

Portaria SVS/MS nº 326

Para quem prepara os alimentos no próprio estabelecimento, a Portaria SVS/MS nº 326 é outra que merece atenção. É ela quem ditará as obrigações e os principais requisitos para garantir as medidas sanitárias adequadas durante a fabricação.

Essa portaria é um regulamento técnico e reúne um conjunto de boas práticas que devem ser realizadas em uma indústria ou comércio que atue com a fabricação e a produção de alimentos.

Portaria MS nº 1.428 

Há ainda uma das normas mais antigas, que ainda está em vigência. Publicada em 1993, a Portaria MS nº 1.428 tem o objetivo de estabelecer as melhores condutas de higiene e sanitárias para todos os negócios que trabalham com a produção de alimentos.

Além disso, engloba também qualquer tipo de estabelecimento que presta serviços no setor da alimentação. É por isso que você precisa ficar de olho no que diz essa portaria, mesmo se os processos de preparo não acontecem dentro do seu negócio.

Como adaptar o seu restaurante?

Está se perguntando quais são os cuidados básicos para promover o food safety dentro do seu negócio? Fique por dentro de algumas práticas que não podem faltar no ramo alimentício!

Sanitização de alimentos

Os produtos utilizados podem ter as mais variadas origens e nem sempre chegam prontos para o uso nas receitas, muito menos para o consumo direto. Alimentos naturais, por exemplo, que tendem a ficar expostos e ainda não passaram por nenhum processamento, são os que mais precisam dessa atenção.

Para evitar a contaminação alimentar por bactérias, fungos, vírus, parasitas ou qualquer outra substância externa, é fundamental dar atenção para o processo de sanitização. Afinal, é isso que vai reduzir as chances da presença de um microrganismo no alimento e deixá-lo seguro para o consumo. 

Para esse processo, existem diversos produtos que podem ser utilizados, sendo o hipoclorito o mais comum. No entanto, é importante prestar atenção nas doses adequadas para evitar excessos e contaminação por essa substância.

Desinfecção de superfícies

Tudo aquilo que pode ter contato com um alimento também precisa estar devidamente higienizado. Por isso, quando o assunto é superfície, o processo correto é a desinfecção, pois é ela que vai inativar os vírus ou bactérias presentes no ambiente.

Assim como na sanitização, é importante utilizar as porções seguras dos produtos úteis ao longo do processo. O uso de materiais adequados, como as luvas, durante a limpeza também é indispensável para a segurança de quem trabalha no restaurante.

Higienização das mãos

A lavagem correta das mãos e dos objetos que vão entrar em contato com o alimento é outro cuidado indispensável no restaurante. Essa medida também vai evitar a contaminação dos ingredientes e dos utensílios que serão utilizados no preparo, na apresentação e no empratamento.

Além disso, evitar a presença de animais, insetos e qualquer outra interferência externa na cozinha do restaurante vai ajudar a garantir a segurança alimentar. O mesmo vale para a conservação dos produtos em recipientes fechados, arejados e bem refrigerados, sempre que necessário.

Agora, sim, você conhece um pouco mais de food safety e sabe quais são os cuidados básicos que não podem faltar. Dar atenção à segurança alimentar vai evitar uma série de consequências negativas para o negócio, os clientes e os colaboradores. Por isso, nada melhor que priorizar a segurança alimentar.

Aprenda mais sobre o ramo da alimentação! Leia este post e conheça o que é saudabilidade!

Por iFood

Por iFood

2 respostas

  1. Boa noite meu nome é leonardo augusto souza sou motoqueiro parceiro de vcs a pouco tempo e estou acamado a 6 meses.
    Fui orientado por um funcionário na época do acidente,14/08/22, a fazer a cirurgia primeiro pra depois pedir os auxílios pois assim viria segundo ele um montante maior , o problema que a cirurgia demorou 4 meses e vcs não me ajudaram em nenhum centavo, perdi o contrato de aluguel da moto, dentre outros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/05/2024

Cultura data-driven: transforme dados em decisões estratégicas!

22/05/2024

Gestão de restaurante: passo a passo para alcançar o sucesso

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar