O que é tabela nutricional e por que informá-la?

Saiba mais neste post sobre o que é tabela nutricional e como usar esse recurso para destacar o seu restaurante!

Oferecer o máximo de qualidade no atendimento e nos produtos deve ser a prioridade de qualquer negócio. No setor da alimentação, esse cuidado com o cliente está até nos detalhes, como no fornecimento da tabela nutricional dos produtos, que mostra toda a composição do alimento.

O ponto-chave é a relação de confiança que se estabelece, já que o cliente sabe o que está consumindo. Isso é ainda mais relevante no caso de pessoas com restrições alimentares ou que preferem evitar determinado tipo de nutriente. Não ter acesso a essas informações pode até fazer com que um consumidor desista de comprar no seu negócio.

Continue a leitura para entender melhor por que a tabela nutricional é importante e como colocá-la nos seus produtos!

O que é tabela nutricional?

A tabela nutricional geralmente aparece na embalagem de um alimento, detalhando o índice energético (calorias) e todos os macronutrientes e micronutrientes que compõem o produto. Observe que estamos falando de elementos como carboidratos, vitaminas e ferro, e não dos ingredientes da receita, como farinha de trigo ou ovos. Isso porque os elementos do item comercializado já são descritos no cardápio.

Ela é uma fonte confiável de informações sobre a composição de um alimento para quem precisa controlar mais a dieta, seja por objetivos pessoais, seja por necessidades de saúde e restrições alimentares.

tabela nutricional

Como é feita a tabela nutricional dos alimentos?

Elaborar a tabela de nutrientes não é uma tarefa tão simples. Veja só alguns dos passos:

  • para encontrar o valor energético, confira a tabela de porção de alimentos compostos (RDC n.º 359 da Anvisa);
  • se não encontrar a categoria do produto ali, é necessário calcular o valor energético com base no item 4 da RDC, considerando 100g;
  • depois, consulte a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO) para verificar a composição nutricional com base em diversos testes laboratoriais;
  • por último, faça o cálculo do percentual de valores diários de referência para uma dieta de 2.000kcal — o valor padrão para uma pessoa adulta.

Você pode ter mais detalhes sobre esse processo lendo as regras da Anvisa para rotulagem nutricional.

[rock-convert-cta id=”5220″]

Quem pode fazer uma tabela nutricional?

Não há nenhuma regra específica dos órgãos fiscalizadores a esse respeito e, até mesmo, os próprios donos do estabelecimento podem elaborar a tabela nutricional dos itens que comercializam. Porém, é preciso observar a complexidade dos cálculos.

Por isso, nutricionistas são as pessoas mais capacitadas para conduzir essa tarefa, ainda mais considerando a responsabilidade de identificar corretamente a composição dos alimentos. Lembre-se de que, no caso de intolerâncias alimentares, a falta de cuidado a esse respeito pode colocar a saúde de clientes em risco.

Quais informações devem ser passadas ao consumidor?

Os componentes da refeição devem ter sua quantidade bruta descrita em gramas ou miligramas. Além disso, é válido indicar que essa quantidade está presente em alguma medida caseira, como uma colher de sopa ou 1/2 xícara. Isso facilita a assimilação do consumidor!

No caso de alimentos preparados, você pode fornecer a tabela nutricional no cardápio ou rótulo do produto. Já no caso de itens industrializados, a tabela nutricional deve ser fornecida pelo fabricante. Nela, podem entrar:

  • valor energético (em calorias);
  • carboidratos;
  • proteínas;
  • gorduras totais, saturadas, insaturadas e trans;
  • fibra alimentar;
  • sódio;
  • cálcio;
  • vitaminas, como C, B12 e E;
  • minerais, como cálcio, ferro, fósforo, magnésio etc.;
  • outros micronutrientes, como aminoácidos e probióticos.

Por que o seu estabelecimento deve se preocupar com a tabela nutricional?

Veja só alguns dos motivos por que o fornecimento de tabela nutricional é vantajoso para a gestão do seu negócio!

Garantir transparência junto ao público

Muitos motivos levam o público a ter preferência pelo seu negócio, como a boa precificação de produtos e a qualidade do atendimento. A transparência é outro fator super-relevante, e fornecer a tabela nutricional mostra aos clientes que não há nada a esconder sobre os produtos utilizados.

Além disso, a tabela ajuda a destacar qualidades, como a presença de vitaminas e minerais importantes para a saúde. Isso ajuda o público a fazer escolhas mais conscientes para ter uma alimentação saudável.

Proteger os clientes contra limitações nutricionais

Ao fornecer a tabela nutricional, você evita que clientes passem mal por consumir um nutriente indesejado. Por exemplo, intolerantes a glúten ou à lactose, alérgicos, pessoas com pedras na vesícula (cálculo biliar) que não podem consumir gordura, clientes com hipertensão evitando o consumo de sódio, entre outros.

Adapte-se com antecedência às disposições legais

Segundo a RDC 429/2020 e a IN 75/2020, da Anvisa, um estabelecimento que comercializa produtos já comprados prontos para o consumo não precisa fornecer tabela nutricional. Mesmo que você embale refeições de preparo próprio, as informações ainda não são exigidas.

No entanto, transita um projeto de lei (PL 8135/2014) que institui essa obrigatoriedade. Como o PL já foi aprovado em algumas etapas, inclusive pelas Comissões de Saúde e de Defesa do Consumidor, há bastante chance de que vire lei. Então, começar desde já essa adaptação pode se tornar um grande diferencial competitivo no futuro.

Como inserir as informações nutricionais no cardápio do estabelecimento?

Segundo João Barcelos, embaixador do iFood, quanto mais você puder descrever, melhor”! Então, vale a pena informar o cliente sobre as principais composições do alimento.

Você pode usar colocar as informações nutricionais no campo de descrição, para cardápios online, ou no material impresso mesmo, logo abaixo do nome da refeição.

Se você tiver um prato orgânico ou sem glúten, por exemplo, é nesse espaço que vai especificar para o cliente. O mesmo vale para comida 100% natural e outras especialidades que são um diferencial no seu negócio.

Outra dica é usar apenas símbolos, especificando o que cada um significa em uma pequena legenda no canto do cardápio. Assim, só de bater o olho, o cliente já saberá que o prato contém quantidades significativas de carboidratos, de proteínas, de ômega-3, vitamina E, e assim por diante.

Agora que você está por dentro do que é tabela nutricional dos alimentos, viu que fornecer essas informações ao seu consumidor é uma estratégia e tanto, não é? Ela pode aumentar ainda mais a confiança do público no seu negócio.

Quer mais uma ajuda para padronizar as informações dos seus produtos? Baixe gratuitamente a planilha de ficha técnica e gerencial!

Por iFood

Por iFood

2 respostas

  1. Boa tarde! Tenho uma dúvida.
    Estou interessado em começar a vender pelo ifood, massas congeladas e gostaria de saber se para vender, nhoque, lasanha congeladas e etc, é obrigatório a tabela nutricional?
    Aguardo respostas, muito obrigado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções