O que é higiene alimentar e as melhores dicas!

Saiba o que é higiene alimentar, sua importância nos estabelecimentos e como evitar a contaminação neste post!

O segredo do prato perfeito, que resulta em um ótimo sabor, aspecto apaixonante e aroma irresistível, não está apenas nos livros, e sim na capacidade de elaborar as receitas. Isso abrange a seleção dos cozinheiros, a escolha dos melhores ingredientes e, claro, a higiene alimentar.

O cuidado com os preparos servidos no seu estabelecimento precisa começar no transporte das matérias-primas, passar pela conservação adequada dos produtos e pela manipulação correta dos ingredientes. Tudo isso para evitar a contaminação alimentar, que é muito prejudicial à saúde.

Continue a leitura para conhecer mais sobre o assunto e saiba como garantir a higiene alimentar em seu estabelecimento!

O que é a higiene alimentar?

A higiene alimentar vai muito além de lavar os alimentos. Ela é a proteção contra parasitas, microrganismos e agentes tóxicos (químicos ou físicos). Para deixar o conceito mais fácil, veja um exemplo prático.

Imagine uma verdura. Independentemente de como foi cultivada, bactérias, insetos e, em alguns casos, agrotóxicos, entrarão em contato com as folhas. Na hora da colheita, uma pessoa tocará na mesma verdura com as mãos sujas.

[rock-convert-cta id=”5242″]

Após isso, elas são transportadas em embalagens sem a correta higienização. Caso sejam colocadas à venda logo em seguida, muita gente entrará em contato com elas sem nenhuma proteção.

Depois, o estabelecimento realiza a compra dessas verduras, que serão colocadas em embalagens e guardadas no estoque em caixas. Nesse caso, é fundamental separá-las de ovos e carnes cruas para evitar a contaminação cruzada.

Caso não sejam armazenadas na geladeira e fiquem expostas à luz e ao calor, as verduras podem murchar, mudar sua coloração e, por consequência, não ficam mais aptas para o consumo.

Essa não é uma exclusividade das verduras. Basicamente todos os alimentos passam por um processo parecido. Isso significa que, até esses produtos chegarem ao estabelecimento onde serão servidos em sua versão final, existem várias possibilidades de contaminação.

Resumindo, a higiene alimentar considera as formas de manuseio dos alimentos, o tempo de consumo, seu armazenamento e prazo de validade. Com isso, é possível evitar contaminações e preservar o bem-estar dos clientes.

Qual a sua importância nos estabelecimentos do ramo alimentício?

A importância de seguir as melhores práticas de higiene alimentar vai além das leis e das regulamentações, como a ISO 22000, que define os requisitos necessários para a gestão da segurança na produção dos alimentos.

Por meio da higiene e manipulação alimentar é possível controlar a qualidade dos produtos, evitando a contaminação com vírus, pesticidas, agentes químicos, fungos e bactérias capazes de decompor e contaminar os alimentos.

Esses micro-organismos e substâncias podem provocar diversos tipos de doenças, desde diarreia até uma infecção grave, colocando a vida dos clientes em risco.

Os cuidados são necessários com vegetais, frutas, hortaliças, e ainda mais severos em relação aos peixes, frangos e carne bovina, já que eles apresentam uma grande carga de micro-organismos. Assim, caso o manuseio seja feito de maneira incorreta, pode acarretar processo de deterioração desses alimentos.

Como evitar a contaminação alimentar?

Lanchonetes, restaurantes, bares e outros empreendimentos devem estar de acordo com as normas da Vigilância Sanitária em relação à higiene alimentar. A seguir, confira algumas dicas essenciais de como evitar a contaminação em seu estabelecimento!

Lave bem as mãos

A higiene das mãos precisa ser constante quando se fala em higiene alimentar. O processo é realizado com o uso de sabonetes antissépticos, lavando bem não somente as mãos, mas também os braços. Para secar, utilize toalhas de papel.

Também é importante conferir se não há esmalte ou sujeira nas unhas. Nesse caso, o colaborador deve evitar o uso de pulseiras, anéis e demais objetos que tenham o risco de cair e provocar a contaminação física. Aventais, roupas claras e toucas de cabelo são recomendados.

Lave os alimentos

Durante o processo de transporte, verduras e frutas carregam microrganismos que podem provocar graves doenças. Desse modo, um passo importante para realizar a higiene alimentar é lavar os produtos em água corrente com água sanitária ou bicarbonato de sódio.

Para isso, antes de lavar verduras, legumes e frutas, é necessário higienizar as mãos e retirar as partes do alimento que estejam machucadas. Após isso, siga os seguintes passos:

  • lave os vegetais com uma escovinha, sabão e água morna, com o objetivo de tirar a sujeira externa;
  • deixe os legumes e as frutas com casca de molho em uma bacia com uma colher de sopa de água sanitária e um litro de água, por cerca de 10 minutos;
  • lave as verduras e frutas em água potável para retirar o excesso de água sanitária.

Além disso, é necessário ficar atento para não misturar alimentos limpos com aqueles crus ou que estão sujos, pois pode voltar a haver contaminação.

Armazene os alimentos na temperatura correta

Armazenar produtos em uma temperatura incorreta ou em local com muita umidade pode contribuir para o surgimento de vírus, bactérias e fungos. Por isso, tenha cuidado para que os alimentos sejam estocados em um ambiente adequado em câmara fria, geladeira ou prateleiras.

Alimentos congelados, por exemplo, precisam ser mantidos em uma temperatura média de 5°C. Já os produtos quentes devem estar no mínimo a 60°C.

Uma boa gestão do estoque é outro ponto importante, já que, por meio dela, é mais fácil não perder prazos de validade, manter o espaço limpo, organizado e otimizado, bem como manter cada produto no lugar e temperatura corretos.

Fique atento ao processo de estocagem

Além da limpeza dos alimentos, é preciso ficar atento em relação ao processo de estocagem. Cada ingrediente precisa ser armazenado em potes separados conforme a origem. Nesse caso, as embalagens usadas para alimentos cozidos e crus devem ser higienizados previamente.

Quais as consequências da falta de higiene alimentar no seu estabelecimento?

Caso os cuidados com a higiene não sejam tomados, a vida dos funcionários e dos clientes pode ser colocada em risco. Isso porque, com a proliferação de micro-organismos patogênicos nos alimentos ingeridos, podem surgir vários sintomas, como alergias, vômitos, diarreia e até mesmo casos mais graves de gastroenterite aguda, que leva à morte.

Caso seja comprovada a responsabilidade do estabelecimento por um caso de intoxicação alimentar, por exemplo, ele pode ter que pagar indenizações por danos morais. Além disso, pode ser interditado temporária ou definitivamente pela ANVISA.

Por isso, tenha a higiene alimentar como uma prioridade no seu estabelecimento, mantendo-o limpo, além de adotar as boas práticas como lavar bem os alimentos e higienizar as mãos corretamente antes de manusear os produtos.

Quer saber mais sobre segurança alimentar? Então, aproveite para ler o post sobre o que é food safety e por que se preocupar com isso!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/05/2024

Cultura data-driven: transforme dados em decisões estratégicas!

22/05/2024

Gestão de restaurante: passo a passo para alcançar o sucesso

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery