5 etapas para uma cadeia de suprimentos eficiente!

Quais são as principais ações para melhorar a cadeia de suprimentos? Como implementá-las? Leia o post para descobrir!

A cadeia de suprimentos envolve todas as rotinas que permitem que um produto de qualidade chegue às mãos do consumidor. Ela abrange processos que vão do gerenciamento de estoque da matéria-prima até o repasse final da mercadoria. Contudo, empreendedores do comércio alimentício podem ter dúvidas em relação aos aspectos que devem priorizar para ter uma operação eficiente.

Vale lembrar que o gerenciamento adequado da cadeia de suprimentos é essencial para satisfazer as necessidades de todos os seus elos: gestores, colaboradores, fornecedores, parceiros em geral e clientes. Por isso, a abordagem precisa ser global.

Continue a leitura para descobrir todas as 5 etapas para desenvolver uma cadeia de suprimentos inteligente!

1. Gestão de processos otimizada

Identificar algumas oportunidades de melhoria para otimizar a cadeia de suprimentos, assim como implementar medidas para melhorar os processos do dia a dia, é fundamental para garantir um fluxo tranquilo de atividades.

É preciso ter em mente que a cadeia de suprimentos é uma rede ampla, que engloba diversas áreas. As principais são as seguintes:

  • seleção de parceiros e o relacionamento com fornecedores;
  • aquisição de insumos;
  • transporte de produtos, matérias-primas, equipamentos novos;
  • fabricação de pedidos;
  • gerenciamento da cadeia logística, como o fluxo de materiais necessários para diversos processos;
  • coordenação de clientes;
  • comunicação entre os setores que fazem parte da logística de suprimentos.

É necessário percorrer todos esses aspectos e identificar oportunidades de melhoria na cadeia. Lembre-se de que as alterações devem ser comunicadas aos colaboradores, de modo que elas se tornem parte da cultura organizacional.

Um meio de identificar pontos fortes e fracos é aplicar a curva ABC. Por ser bem intuitiva e totalmente adaptável ao mercado gastronômico, será possível identificar gargalos, oportunidades e apontar melhorias práticas.

2. Atenção adequada para o estoque/inventário

Não é exagero dizer que o estoque está no centro da gestão de suprimentos. Todos as tarefas e atribuições convergem para que o fluxo de abastecimento, a logística integrada e a distribuição de produtos sejam bem-feitos.

Quando o estoque não é bem gerido, os prejuízos são diversos: paralisação da produção por falta de matéria-prima e, inclusive, perda de vendas devido a uma reposição pobre ou desperdícios causados pela falta de um trabalho mais preciso de mapeamento dos itens.

No setor alimentício, não ter as matérias-primas necessárias para preparar os pratos é fatal para o negócio. Imagine ter que informar ao cliente que diversas das opções no cardápio não estão disponíveis no momento, mesmo que estejam listadas ali.

Um bom planejamento de compras de matérias-primas e ingredientes deve levar em conta as demandas passadas e as atuais, assim como as tendências de mercado. Outra medida é implementar sistemas de rotação de estoque, que farão com que produtos mais antigos sejam colocados à frente dos recentes — otimizando as vendas dos itens com prazo de validade mais curto e mitigando o desperdício.

Uma boa gestão de estoque também é favorecido com o App Separador iFood. Garanta maior eficiência operacional e gestão de logística aprimorada, com funcionalidades como:

  • ruptura parcial;
  • agrupamento de pedidos para os mesmos entregadores;
  • tempo de separação por tipo de pedido, entre outros.

3. Comunicação e colaboração

Como o trabalho em qualquer empreendimento alimentício é coletivo, é válido dizer que nenhuma mudança na gestão de suprimentos terá sucesso se não for comunicada aos colaboradores. Inclusive, um estudo da consultoria Robert Half mostra que a motivação e a retenção de talentos no ambiente de trabalho decorre de uma boa gestão da liderança:

“Abordado pelos recrutadores, o papel dos líderes na consolidação da felicidade é extremamente relevante, uma vez que 94% dos profissionais acreditam que a satisfação é influenciada pela atuação da liderança. Entre eles, 50% ainda indicam este como um ponto essencial para conquistá-la.  

“Tenha em mente que as seguidas quedas na taxa de desemprego entre os qualificados nos aproximam de um mercado no qual eles são os protagonistas. Recomendo às companhias que não deixem para valorizar seus melhores talentos na iminência de perdê-los. Adotar um planejamento estratégico para garantir um time de alto nível poderá ser o seu diferencial”, completa Erika.”

Imagine que você, que faz parte da gestão, precise trocar algum fornecedor, por exemplo. Contudo, você não comunica esse fato ao colaborador responsável por receber os novos suprimentos. Com o desentendimento, aquele parceiro sai furioso do seu estabelecimento, prometendo nunca mais fazer negócio com você.

Esse é um exemplo de como a comunicação é essencial para lidar com os processos do cotidiano gastronômico, mesmo os mais simples. Caso a rotina seja corrida e não seja possível fazer reuniões presenciais, crie newsletters para todo mundo conferir as mudanças relacionadas à gestão de suprimentos.

Outro ponto importante é saber qualificar as equipes. Nesse caso, não estamos falando apenas da equipe interna, mas da importância de trabalhar com fornecedores e transportadores de alto nível.

Lembre-se de que todo o trabalho feito internamente pode ir por água baixo se os trabalhadores externos não conseguirem acompanhar o ritmo de produtividade da equipe do estabelecimento. Por isso, faça pesquisas e converse com as pessoas da sua rede de networking para conseguir firmar as melhores parcerias possíveis.

4. Planejamento e previsão de demanda

Realize uma análise de demanda embasada. Em vez de se apoiar nos achismos, consulte os seus arquivos e utilize dados históricos, tendências atuais no comércio e esteja sempre atento ao feedback dos clientes.

Se o seu empreendimento ainda é novo e não tem tantas informações de períodos passados para comparar, o feedback dos consumidores e dos seus fornecedores devem ser a fonte principal das suas melhorias de demanda.

Com base nesses feedbacks, será possível ajustar a demanda e implementar uma precificação mais inteligente. Compare diferentes períodos de funcionamento e se baseie neles para lidar com as sazonalidades.

Um exemplo: analisando dados históricos e a tendência do mercado, você pode constatar que o Dia dos Pais gera uma maior demanda de pedidos robustos, que atendam à toda a família. Aí, você pode reforçar o estoque, de modo que seja possível cumprir as solicitações.

Também é importante ficar atento aos elementos externos que influenciam o negócio. Nesse sentido, é necessário ter uma visão ampla do mercado para acompanhar aqueles problemas que fogem do controle da gestão interna.

Preste atenção nas oscilações no mercado e crises econômicas que podem afetar o negócio. Caso você vislumbre um cenário que pode colocar em risco o fornecimento de matérias-primas e ingredientes, por exemplo, estabeleça algumas rotas alternativas para manter o empreendimento lucrando. Um exemplo foi a Guerra na Ucrânia, que comprometeu o abastecimento de trigo no planeta.

5. Investimento em tecnologia e inovação

A análise de dados é uma das competências tecnológicas que ajudam o seu negócio a otimizar a gestão de suprimentos. Quando você tem informações valiosas em mãos, terá conhecimento necessário para utilizá-lo em prol do sucesso do empreendimento.

Contudo, fazer isso por meio da tecnologia é bem mais rápido e preciso. Pesquise a possibilidade de contar com cientistas de dados terceirizados ou, se o orçamento permitir, implementar uma solução de Big Data ou Business Intelligence em seu negócio.

Usando essas tecnologias, será mais fácil precificar os produtos, mapear o histórico digital de compras e vendas para tomar decisões melhores e identificar gargalos. Outro ponto importante é que os dados sólidos nas mãos dos gestores facilitam análises precisas dos custos (tanto os fixos como os variáveis).

Outra opção de tecnologia que ajuda qualquer empreendimento gastronômico é um sistema de gestão personalizado, conhecido como ERP (sigla para Enterprise Resource Planning, ou planejamento de recursos empresariais).

Essa ferramenta centraliza todas as informações relevantes e processos do seu negócio. Isso ajuda no planejamento de estoques, por exemplo, uma vez que você conhecerá todos os elementos que já têm ou precisa repor. De modo geral, essa tecnologia serve como um raio X do negócio, englobando informações precisas sobre os processos em andamento e gerando relatórios automáticos e personalizados.

Agora que você sabe como otimizar a cadeia de suprimentos do negócio, poderá colocar essas dicas em prática para colher resultados melhores em seu empreendimento. Lembre-se de que a abordagem deve ser global, então é preciso otimizar os processos internos e externos. Além disso, o foco deve ser sempre em entregar o melhor produto possível para o cliente.

Quer outra forma de otimizar os processos do seu negócio? Então, utilize a planilha de contas a pagar!

Author picture

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/05/2024

Cultura data-driven: transforme dados em decisões estratégicas!

22/05/2024

Gestão de restaurante: passo a passo para alcançar o sucesso

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery