Segurança alimentar: como garantir a seus clientes

Confira algumas dicas práticas sobre como trabalhar a segurança alimentar no seu negócio, garantindo a proteção a seus clientes!

A segurança alimentar é uma preocupação constante para todos os estabelecimentos alimentícios, desde pequenos restaurantes até grandes redes de supermercados. 

A garantia da segurança dos alimentos é essencial para proteger a saúde dos consumidores e manter a reputação do negócio. 

Continue a leitura e saiba como garantir a segurança alimentar no seu negócio! 

O que é segurança alimentar?

Segurança alimentar é a garantia de que os alimentos sejam seguros, saudáveis e adequados para o consumo humano. Envolve medidas e práticas destinadas a prevenir e controlar os riscos associados à produção, processamento, armazenamento, distribuição e consumo de alimentos.

Em relação aos negócios alimentícios, a segurança alimentar é fundamental, já que além de proteger a saúde dos clientes evitando riscos, garante o cumprimento das normas e procedimentos obrigatórios e fiscalizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Como a legislação brasileira trata da segurança alimentar?

A ANVISA é responsável por regulamentar diversas normas no país. Dentre elas, está a RDC 216/2004, que estabelece os requisitos higiênico-sanitários que devem ser seguidos por estabelecimentos alimentícios.

Outra resolução importante, é a RDC 275/2002, que determina as diretrizes para o Controle Sanitário do Processo de Alimentos e Bebidas com baixo teor de água embalados sem tratamento térmico eficaz.

É importante consultar os órgãos competentes, como a ANVISA e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para obter informações atualizadas sobre outras normas específicas em vigor no Brasil.

Quais são os riscos à saúde associados à falta de segurança alimentar?

Para garantir a segurança alimentar nos supermercados e estabelecimentos alimentícios, é necessário entender os potenciais riscos associados aos produtos presentes, que, podem consequentemente, causar algum tipo de dano à saúde dos clientes. Confira os principais a seguir:

  • doenças transmitidas por alimentos: A insegurança alimentar pode resultar na contaminação de alimentos por bactérias, vírus, parasitas e toxinas, causando diversas doenças como salmonela, E. coli, norovírus, hepatite A, entre outras;
  • intoxicações alimentares: A presença de substâncias químicas tóxicas em níveis não seguros nos alimentos pode levar a intoxicações, causando sintomas como náuseas, tonturas e, em casos mais graves, danos aos órgãos;
  • alergias e intolerâncias alimentares: A falta de informação adequada sobre os ingredientes dos alimentos e a contaminação cruzada de alérgenos podem desencadear reações alérgicas e intolerâncias alimentares em pessoas sensíveis;
  • problemas de saúde de longo prazo: A exposição contínua a alimentos contaminados ou com baixa qualidade nutricional pode contribuir para o desenvolvimento de problemas de saúde crônicos, como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer.

Como a falta de segurança alimentar pode impactar um negócio?

A falta de segurança alimentar pode impactar negativamente a reputação da marca, as finanças e a sobrevivência do negócio. 

Se um cliente adoecer ou tiver uma reação alérgica após consumir um alimento contaminado ou não seguro, a marca pode sofrer danos irreparáveis à sua imagem. Isso pode levar a uma diminuição na confiança do consumidor na marca, além de um possível boicote dos produtos e perda de vendas.

Além disso, os custos associados a um surto de doenças transmitidas por alimentos podem ser significativos, envolvendo investigações, multas, indenizações e ações judiciais. Tudo isso pode ter um impacto financeiro negativo no negócio alimentício, podendo levar a perda de lucros e até mesmo ao fechamento do estabelecimento.

Como implementar um sistema de gestão de segurança alimentar? 

A implementação de um sistema de gestão de segurança alimentar envolve várias etapas. Confira algumas diretrizes gerais para ajudar nesse processo:

Análise de perigos e pontos críticos de controle (APPCC)

A implementação do APPCC é um elemento fundamental para fortalecer o sistema de gestão de segurança alimentar no seu negócio, pois permite uma abordagem proativa para prevenir e controlar os perigos. 

É um processo contínuo que requer a revisão e atualização regular das análises de perigos e pontos críticos de controle, à medida que novos riscos são identificados ou alterações ocorrem nos processos de produção.

Controle de qualidade

O controle de qualidade ajuda a identificar e corrigir desvios ou não conformidades nos produtos, garantindo que eles atendam aos padrões estabelecidos de segurança, qualidade e sabor.

Além disso, permite a detecção precoce de problemas e a implementação de medidas corretivas para evitar a distribuição de produtos não seguros ou de baixa qualidade.

Treinamento de funcionários

Essa etapa é essencial para garantir que todos os colaboradores compreendam as responsabilidades relacionadas à segurança alimentar. Eles devem estar cientes dos perigos associados à contaminação dos alimentos, além das medidas de controle necessárias para prevenir a ocorrência de problemas de segurança.

O treinamento pode ser realizado por meio de programas de capacitação internos, treinamentos presenciais, cursos online, material educativo e comunicações regulares sobre boas práticas de segurança alimentar. 

Quais são as melhores práticas para garantir a segurança alimentar? 

Para que toda a equipe de colaboradores saiba como prevenir danos aos produtos nos negócios alimentícios, é preciso elaborar práticas capazes de prevenir os riscos, como:

Higiene pessoal e do ambiente

Incentive e promova a higiene pessoal entre os funcionários, incluindo lavagem frequente das mãos, uso de vestimentas adequadas, como uniformes limpos e toucas de cabelo, e proibição de uso de adornos pessoais durante a manipulação dos alimentos.

Além disso, é essencial manter um ambiente limpo e higiênico em todas as áreas de manipulação de alimentos. Isso inclui a limpeza regular de pisos, paredes, tetos, equipamentos, prateleiras e áreas de armazenamento. 

Armazenamento adequado de alimentos

O armazenamento adequado de alimentos também é uma prática essencial. Uma ótima dica é separar diferentes tipos de alimentos para evitar a contaminação cruzada. Mantenha produtos crus, como carnes, separados de alimentos prontos para consumo, como frutas e legumes. 

Lembre-se de observar a temperatura de armazenamento. Alimentos perecíveis devem ser refrigerados adequadamente para prevenir o crescimento de bactérias. Já os alimentos congelados devem ser mantidos a temperaturas abaixo de zero para preservar sua qualidade.

Prazos de validade

Prazos de validade adequados são fundamentais para garantir a segurança alimentar. Cada alimento possui um prazo de validade específico, que indica por quanto tempo ele pode ser consumido com segurança e manter suas características de qualidade. 

É importante respeitar esses prazos para evitar a deterioração dos alimentos e a proliferação de microrganismos prejudiciais.

Como a tecnologia pode ser usada para melhorar a segurança alimentar? 

A tecnologia desempenha um papel significativo na melhoria da segurança alimentar, e uma das áreas em que pode ser aplicada é o monitoramento em tempo real da temperatura de armazenamento dos alimentos.

Essa prática permite o acompanhamento contínuo das condições de armazenamento, garantindo que os alimentos sejam mantidos em temperaturas seguras para evitar a proliferação de bactérias e a deterioração dos produtos.

Dessa forma, os estabelecimentos alimentícios conseguem identificar e corrigir rapidamente qualquer problema de temperatura que possa comprometer a segurança dos alimentos. Isso reduz o risco de contaminação e melhora a qualidade e a vida útil dos produtos, proporcionando mais confiança aos consumidores.

Garantir a segurança alimentar é essencial para proteger a saúde dos clientes e fortalecer a reputação dos estabelecimentos alimentícios. Implementando as medidas trazidas aqui, você demonstra compromisso com a segurança e satisfação dos consumidores, promovendo confiança e fidelidade.
Aproveite a visita no blog e entenda mais sobre a psicologia dos preços!

Por iFood Mercado

Por iFood Mercado

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

12/04/2024

Melhoria Contínua no Atendimento do iFood: conheça o Botão de Ajuda

12/04/2024

Aprenda a técnica food porn para caprichar nas fotos de comida

11/04/2024

Feedback do cliente: saiba como tirar proveito