6 tipos de tempero para usar na sua cozinha

Não sabe como trazer um diferencial para os pratos? Confira como explorar diferentes tipos de tempero na cozinha!

O uso de diferentes tipos de tempero tem o poder de transformar qualquer comida. Saber como explorar as combinações de especiarias pode ser o diferencial de um negócio e garantir um cardápio repleto de explosão de sabores.

Para isso, é importante conhecer os temperos que você pode usar na cozinha e testar nas receitas. Aprender as particularidades de cada especiaria e técnicas de harmonização pode ser de grande ajuda para fazer com que um prato receba o brilho que precisava para se tornar o favorito entre os clientes.

Confira 6 dicas para usar os mais diferentes tipos de tempero natural na sua cozinha!

1. Temperos básicos

Começar pelo básico é sempre uma boa ideia. Em pratos salgados, é fundamental contar com doses equilibradas de sal, alho, cebola, pimenta e ervas

Entre as ervas, é possível citar:

  • salsa;
  • coentro;
  • orégano;
  • manjericão;
  • cebolinha;
  • alecrim;
  • louro;
  • sálvia.

Com esses elementos básicos, você pode também testar misturas para criar diferentes tipos de tempero caseiro. Desse modo, é só deixar uma porção pronta para cozinhar ao longo da rotina do estabelecimento.

2. Especiarias exóticas

As especiarias exóticas recebem esse nome por conta do contexto histórico. Por serem encontradas com mais frequência no Oriente Médio, ficaram conhecidas como “exóticas” desde a época das navegações europeias em busca de novas terras.

No Brasil, esses elementos já fazem parte da rotina de várias culinárias e você pode aproveitá-los ao máximo na cozinha, principalmente na alimentação saudável.

Alguns exemplos de especiarias exóticas são:

  • baunilha;
  • canela;
  • cravo-da-índia;
  • açafrão;
  • páprica;
  • gengibre;
  • cardamomo;
  • curry;
  • noz-moscada;
  • urucum — tradicional da culinária indígena;
  • pimenta-do-reino;
  • pimenta-calabresa;
  • mostarda.

Essas especiarias contam com sabores marcantes, de modo que apenas uma singela pitada já é capaz de transformar toda uma receita. Por esse motivo, costumam andar lado a lado dos temperos básicos e serem a peça-chave de vários doces e salgados.

3. Combinações de temperos para pratos específicos

As combinações de tipos de tempero também vão garantir que os pratos tenham um diferencial competitivo. Certamente, elas vão deixar uma lembrança positiva em todas as pessoas que provarem.

Isso acontece, principalmente, ao priorizar a harmonização dos temperos para garantir uma receita de sabores equilibrados, nas quais o paladar de cada elemento é preservado.

Por exemplo, é possível unir ervas frescas e desidratadas para fazer tipos de tempero verde que ajudam a saborizar carnes, sopas e caldos. Saber como aproveitá-los junto de frutas e legumes da época também pode ser uma ideia interessante para compor um cardápio sazonal e que se torna a marca da casa.

Outra opção também é seguir receitas tradicionais, que leva a combinação de temperos e especiarias, mas encontrar a proporção ideal para valorizar cada sabor. Afinal, uma receita bem preparada, por mais conhecida que seja, também pode se tornar o carro-chefe e potencializar as chances de sucesso do estabelecimento.

Vale a pena pensar também que diversos desses temperos contam com propriedades que ajudam no cuidado com a saúde e o bem-estar, e isso pode ser utilizado para agregar valor. Açafrão, gengibre e canela, por exemplo, são repletos de vitaminas, minerais e propriedades antioxidantes, que podem dar o toque especial em uma comida natural, por exemplo.

4. Temperos frescos e temperos secos

Conhecer os diferentes tipos de tempero natural também é um ponto positivo para saber como unir o uso de opções frescas e secas. Afinal, o sabor e a praticidade podem variar ao colocar a erva desidratada ou colhida recentemente em receitas.

As ervas frescas ajudam a preservar o sabor e a textura do tempero, deixando-o mais marcante nas receitas. Já os temperos secos são mais fáceis de serem armazenados e preservados por mais tempo

As ervas frescas são muito utilizadas na finalização de pratos e na composição estética, além do paladar. Os temperos secos passam por um processo de desidratação, o que promove mais praticidade no uso ao longo do dia a dia.

5. Criatividade no uso de temperos

Para saber explorar todos os tipos de tempero em pó ou frescos, é importante também deixar a criatividade se soltar. Assim, é possível criar receitas e fazer com que sabores inéditos sejam produzidos e tragam um diferencial para os pratos que fazem parte do cardápio do seu estabelecimento.

Por essa razão, vale a pena ter um tempo para testar novas receitas e conferir a aplicabilidade no cardápio. Nesse contexto, é interessante servir esses pratos com temperos novos para amigos ou clientes com amostras grátis, a fim de receber um feedback e saber se as combinações estão funcionando.

Vale a pena também estudar um pouco mais sobre os temperos e as suas harmonizações. Contar com conteúdos de gastronomia vai facilitar todo esse trabalho e promover uma experiência incrível aos consumidores do estabelecimento.

Confira ideias de combinações de temperos que você pode explorar de forma criativa:

  • pimentas e sal, junto a cravo e canela, que são mais utilizados em doces, podem ser também excelentes tipos de tempero para carne bovina e suína;
  • páprica, açafrão e gengibre dão um toque diferenciado às carnes brancas, por serem tipos de tempero para frango. Porém, podem receber um toque agridoce ou picante em diversas receitas, com pimentas, açúcar, cardamomo ou canela;
  • as massas combinam bastante com ervas frescas, como orégano, manjericão e alecrim, mas também podem receber mostarda, baunilha e pimenta, por exemplo, a depender da receita e dos molhos.

6. Como armazenar temperos adequadamente

Saber como manter os temperos armazenados adequadamente vai garantir que o sabor seja preservado e as receitas se tornem ainda mais valorizadas

Os cuidados para armazenar os diversos tipos de tempero são:

  • guardar temperos secos em potes de vidro tampados;
  • preservar ervas frescas na geladeira e evitar o congelamento para manter a textura;
  • armazenar os temperos frescos lavados e com papel-toalha para absorver a umidade;
  • deixar os temperos em local protegido de umidade e luz.

No geral, explorar os diferentes tipos de tempero é uma experiência divertida e inspiradora. Por esse motivo, pode começar como uma simples brincadeira na cozinha e se tornar um diferencial nas receitas, a ponto de agregar mais valor ao cardápio. Sendo assim, vale a pena explorar.

Aproveite e confira algumas tendências do setor alimentício que vale a pena investir!

Author picture

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/05/2024

Cultura data-driven: transforme dados em decisões estratégicas!

22/05/2024

Gestão de restaurante: passo a passo para alcançar o sucesso

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar