Aprenda o que é capital de giro e como fazer!

Qual é a importância do capital de giro para a saúde financeira da empresa? Confira neste artigo!

Abrir um negócio é um sonho realizado: contudo, mantê-lo financeiramente saudável é o verdadeiro desafio. Para lidar com ele, é imprescindível manter o controle das contas do dia a dia e das arrecadações futuras. Uma medida importante, nesse sentido, é o capital de giro.

Ele faz parte de todo o planejamento da empresa, desde a fundação até gestão financeira diária. É o capital de giro que regulará os lucros e a possibilidade de fazer novos investimentos, por exemplo.

Para saber mais sobre o conceito, suas ramificações e como calculá-lo, continue a leitura!

O que é capital de giro?

Capital de giro é o valor necessário para que um negócio continue em funcionamento. Ele se relaciona aos recursos financeiros disponíveis e também à soma das despesas e contas a pagar de um empreendimento. Ele recebe esse nome porque o montante está sempre “girando”, ou seja, sendo utilizado para o funcionamento do negócio.

Isso significa que o capital se movimenta entre pagamentos, recebimentos e gastos. É importante considerar todos os recursos ativos e passivos da empresa, não apenas o saldo em dinheiro. Por isso, também fazem parte do conceito:

  • estoque;
  • caixa;
  • investimentos;
  • pendências a receber e a pagar;
  • movimentações da conta-corrente da empresa.

Qual a importância do capital de giro?

O capital de giro é uma medida que ajuda a conhecer a situação financeira do empreendimento e alocar melhor os recursos. Conheça alguns dos seus benefícios.

Análise de custos e despesas fixas e variáveis

O capital de giro ajuda a realizar levantamentos dos custos e despesas do negócio. Com esses dados em mãos, será mais fácil reduzir o desperdício e cortar tudo o que não for realmente necessário. Contudo, não deixe de registrar as mudanças para saber quanto será preciso ter em caixa a cada mês.

Disciplina dos gastos

Conhecer o seu capital de giro é ótimo para disciplinar os gastos e controlar despesas. Caso você esteja sempre usando parte da reserva de emergência para adiantar algum pagamento, reponha imediatamente. Desse modo, você administra e mantém a saúde financeira da sua empresa.

Controle do endividamento

Manter o controle do capital de giro é essencial para afastar o endividamento excessivo. Isso ocorre quando há um descontrole das contas, ou seja, quando se gasta mais do que se recebe. Além disso, manter a saúde financeira deixa a empresa preparada para lidar com fatores externos.

Com um capital de giro bem administrado, por exemplo, você mantém a sua reserva de emergência em dia. Assim, você pode preparar-se para lidar com alguma situação atípica, como manutenção no estabelecimento, quebra de equipamentos ou até mesmo investir em algum outro aspecto, como na troca do mobiliário ou ampliação do salão.

Quais os tipos de capital de giro?

O capital de giro se divide em diferentes tipos, e conhecer os principais é essencial para a gestão do restaurante ou qualquer outro negócio do ramo alimentício.

Líquido

O capital de giro líquido é toda quantia que sobra depois que você subtrai o passivo circulante do ativo circulante. Contudo, lembre-se de que imóveis e outros bens não podem ser incluídos nesse montante, uma vez que eles não são capital que possam ser utilizado como valor disponível na empresa.

Assim, imóveis e outros bens são exemplos de passivos não circulantes. Só entram na conta do capital líquido os ativos que possam ser convertidos em dinheiro com facilidade e utilizados na manutenção do negócio.

Negativo

O capital de giro negativo serve como um sinal de alerta para gestores, uma vez que esse status só é atingido quando a soma do que é gerado financeiramente pela empresa não basta para quitar todos os débitos e operações do cotidiano.

Caso exista a possibilidade de reversão dessa situação a curto prazo (o recebimento de pagamentos futuros, por exemplo), não há motivos para o desespero, uma vez que há previsão de arrecadação.

Caso a situação também possa afetar o negócio a longo prazo, isso pode significar a inviabilização do funcionamento da empresa.

Próprio

Já o capital de giro próprio se refere à situação em que a empresa consegue acumular recursos suficientes para equacionar as contas. Assim, ela não precisará recorrer a terceiros, como investimentos externos ou empréstimos.

Um negócio nessa situação é aquele que conseguiu manter a sua saúde financeira em alto nível. Isso porque ele utiliza apenas os recursos que o empreendimento produziu.

Associado a investimentos

Por fim, esse tipo de capital de giro se relaciona ao dinheiro destinado para cobrir as despesas com futuros investimentos que a empresa pretende fazer. Nesse sentido, caso você queira investir em maquinário novo, será necessário contar com recursos para concretizar essa aquisição.

Como calcular o capital do giro do seu estabelecimento?

Antes da fórmula, é necessário explicar dois conceitos. O primeiro deles é o ativo circulante. Ele é representado por tudo o que pode se tornar dinheiro para a empresa nos próximos 12 meses, como produtos em estoque, vendas a prazo e mobiliário. São outros exemplos:

  • aplicações financeiras;
  • dinheiro disponível no caixa;
  • pendências a receber;
  • contas bancárias.

Já o passivo circulante é o que precisa ser quitado. Ele considera, principalmente:

  • contas a pagar;
  • gastos com fornecedores de insumos;
  • despesas fixas e variáveis;
  • manutenções;
  • empréstimos;
  • entre outros.

Com maior compreensão desses conceitos, veja agora a fórmula de cálculo:

CP = ativo circulante – passivo circulante

Exemplo prático

Suponha que uma empresa conte com um ativo circulante de R$ 30 mil e um passivo de R$ 22 mil. Assim:

Capital de Giro = R$ 30.000 – R$ 22.000 = R$ 8.000

O capital de giro, nesse caso, é de R$ 8 mil. Nesse exemplo, a empresa não apenas tem dinheiro suficiente para cobrir as suas despesas e gastos, como têm um superávit (lucro) de R$ 8 mil.

Qual a diferença entre capital de giro e capital social?

Capital de giro e capital social são dois conceitos que, erroneamente, são usados como sinônimos por algumas pessoas. Isso porque o capital social se relaciona ao investimento na aquisição de ativos fixos para as empresas, enquanto o capital de giro se refere ao valor que a empresa precisa para se manter em pleno funcionamento.

Além disso, o capital social é utilizado para atender às necessidades de longo prazo, enquanto o capital de giro se concentra nas obrigações de curto prazo — como o financiamento de atividades comerciais do cotidiano do negócio.

Dominar o capital de giro é imprescindível para um bom gerenciamento de um estabelecimento do ramo alimentício. Empreendimentos que apostam na capacitação dos colaboradores e na gestão por competência, por exemplo, estarão mais bem preparados para conscientizá-los sobre a importância desse conceito para o sucesso da empresa.

Aproveite e conheça os 8 passos essenciais para atingir o sucesso na gestão financeira do seu negócio!

Por iFood

Por iFood

Uma resposta

  1. boa noite Smpre falo amuuuuu por demais trabalhar com o ifood,Ms infelizmente sou mto anafalbeta na tecnologia e nesses assuntos ? administro mnha pqna marmitaria consigo pagar as contas Ms quero mto mais k isso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

23/04/2024

Não julgue APENAS pela casca: veja como escolher os melhores legume...

23/04/2024

Embalagem de produtos: transformando compras em experiências

23/04/2024

Conheça 4 molhos para macarrão que são deliciosos

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery