Como começar um dropshipping? Entenda

O que é o dropshipping e como entrar nesse modelo de negócio? Como escolher os parceiros? Leia o post para entender!

O dropshipping é uma prática conhecida como a união entre duas partes comerciais: uma delas toma conta de um espaço na internet e a outra provê o estoque. Assim, ambos se complementam e dividem os lucros.

Contudo, para uma parceria equilibrada e benéfica para ambos, é preciso ter alguns cuidados, como a escolha dos fornecedores para colocar a ideia em prática. Afinal, é preciso ter certeza de que eles honrarão os pedidos.

Confira o que é dropshipping e os passos para colocá-lo em prática!

O que é dropshipping?

O dropshipping é um modelo de negócio lucrativo no qual uma pessoa gestora de um estabelecimento recebe o pedido de um cliente em sua loja virtual e repassa a ordem de compra a um fornecedor.

Ele também pode receber o dinheiro da compra e adquirir o produto desse fornecedor, que envia o produto para o cliente.

Nesse sentido, o dropshipping é uma prática que sempre acontece entre dois parceiros. O primeiro deles é o varejista, que toca um espaço na internet (como um e-commerce ou marketplace) e é responsável pelo marketing e a venda de produtos em um site, por exemplo.

Já o segundo é o fornecedor, que conta com todos esses itens armazenados em seu estoque e libera alguns deles quando o seu parceiro solicita.

O dropshipping é possível em diversas áreas. Um comércio alimentício, por exemplo, pode atuar como esta segunda parte, ao preparar e estocar a comida. Enquanto isso, outro empreendedor fica por conta do ambiente digital, cuidando da venda e da divulgação dos produtos.

Outro exemplo seria o de uma empresa que expõe produtos em um site, com mercadorias encontradas apenas no exterior. Quando uma compra é feita, essa organização atua como uma intermediária, repassando a ordem de compra ao seu parceiro no exterior.

O termo vem da junção das palavras drop (“largar”) e shipping, que pode ser traduzida como “remessa”. Nesse sentido, o dropshipping se relaciona a uma forma de presença online no qual o empreendimento que fecha as vendas não precisa ter um estoque próprio — e utiliza o de terceiros.

Como montar uma loja?

Montar uma loja no dropshipping significa criar (ou adaptar) um negócio sem precisar se preocupar com a estrutura física. Caso você seja a pessoa vendedora, não precisará ter um lugar para guardar o estoque; caso seja fornecedor, não precisará de um local para venda.

Para ter sucesso no dropshipping, você só precisa buscar um parceiro que também coloque o conceito em prática. Nesse sentido, será preciso contar com um site para divulgar os produtos. Caso o seu interesse seja o papel de fornecedor, procure empresas que já realizem o dropshipping e tenham uma boa reputação no mercado.

No caso, você precisará gerenciar bem o seu estoque. Erik Rodrigues, do time de marketing B2B do iFood, alerta que “o primeiro passo é organizar os seus produtos. A disposição deve facilitar a conferência dos insumos”.

Também é importante organizar os produtos por nicho e deixar “em etiquetas visíveis o prazo de cada um”. Outro ponto crucial é registrar os itens. “Anote dados como a data de recebimento, quantia adquirida e custo médio por unidade”.

Contudo, se o seu interesse é operar o site para outro empreendedor que tenha o estoque, você pode criar um espaço em um marketplace, por exemplo, ou criar o seu site do zero, no modelo e-commerce.

O interessante do dropshipping é que o parceiro não precisa ser alguém que você necessariamente conheça. Desde que você tenha meios para conferir a reputação, pode trabalhar com pessoas de qualquer lugar do país.

Afinal, quando um cliente realiza a compra, um empreendedor recebe o dinheiro — e só aí ele comprará os itens do fornecedor. Em seguida, é esse fornecedor que envia o produto ao cliente, com ambos tendo margem de lucro.

Onde vender com dropshipping?

O dropshipping ocorre em espaços na internet, como marketplaces e e-commerces. Nesse contexto, uma pessoa empreendedora do ramo alimentício pode se encaixar em qualquer uma das pontas: realizando as vendas online ou cuidando de uma equipe que prepara os alimentos.

Tecnicamente, o dropshipping se diferencia do e-commerce porque o segundo envolve a necessidade de estoque próprio. Assim, seria necessário desenvolver um site, cadastrar todos os produtos e lidar com os processos relacionados à entrega.

Isso não significa que não seja possível combiná-los: e-commerce é sinônimo de comércio virtual, o que o torna um veículo perfeito também para a prática do dropshipping.

Já o marketplace é como se fosse uma ampla oferta de produtos em um mesmo ambiente digital — uma espécie de shopping online. Nesse sentido, ele serve como um complemento para o dropshipping.

Afinal, uma das partes envolvidas pode hospedar e divulgar os produtos em um marketplace e, assim que uma venda for fechada, contatar o seu fornecedor para que ele cuide da logística da entrega.

Como encontrar um fornecedor?

O seu principal desafio é encontrar produtos e estabelecimentos que tenham potencial de interesse do seu público, seja no Brasil, seja no exterior.

Busque parceiros que já tenham uma boa reputação no mercado, em termos de eficiência e cumprimento dos prazos acordados com os clientes — como em fretes e delivery. Acione a sua rede de contatos e procure por empresas que complementem os seus serviços.

Outra dica é fazer buscas direcionadas na internet. Busque por termos como “fornecedor” e “dropshipping” e acrescente o seu segmento na pesquisa para encontrar opções. Também vale a pena checar em grupos nas redes sociais, como o LinkedIn, por tópicos relacionados ao termo.

Lembre-se de que há muitas empresas que se beneficiariam de um serviço de dropshipping para ter a visibilidade necessária. Do mesmo modo, é possível servir como intermediário para produtos encontrados mais facilmente no exterior. Nesse sentido, há oportunidades para diversas abordagens.

Como divulgar a loja na prática?

Para uma boa divulgação da sua loja, é possível começar em três frentes. A primeira delas é por meio do marketing de conteúdo, com publicações de artigos em um blog. Lá, será possível fazer resenhas e apresentar melhor as mercadorias e serviços, assim como tirar dúvidas simples que atraem leitores.

Outra possibilidade é criar anúncios patrocinados com plataformas como o Google Ads. Por último, aproveite os recursos das redes sociais, focando naquelas que tenham mais a ver com o seu público-alvo.

Saber como fazer dropshipping é uma maneira de vencer as limitações e encontrar um jeito de vender produtos mesmo sem ter um estoque próprio. Do mesmo modo, empreendimentos podem atuar como fornecedores dropshipping parceiros, desde que realizem a venda e a divulgação das mercadorias.

Gostou das informações? Para adquirir mais habilidades profissionais na sua atuação, saiba mais sobre a capacitação para empreendedorismo!

Por iFood

Por iFood

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

17/05/2024

Desvendando o ciclo do pedido: etapas, como medir e desafios

16/05/2024

À la carte: o que é, como funciona e dicas essenciais

15/05/2024

Negócios lucrativos: quais são e como garantir sucesso?