ESG: saiba o que é e qual a importância

Você já ouviu falar em ESG? Descubra aqui o que isso significa, qual a importância desse conceito e como implementá-lo no seu negócio!

A responsabilidade social e o desenvolvimento econômico sustentável são requisitos indispensáveis para o sucesso de uma empresa imersa no mercado atual. Por esse motivo, o conceito do ESG ganhou destaque nacional e internacional, passando a representar uma forte tendência.

Trata-se de um termo que retrata um conjunto de práticas e políticas corporativas voltadas para questões ambientais, sociais e de governança corporativa. Esses são pilares importantes que você deve ter em mente na sua gestão empresarial, para garantir o crescimento e o sucesso do seu negócio.

Entenda o que é ESG, qual a importância desse conceito e como começar a implementá-lo!

O que é ESG e de onde vem esse termo?

O ESG representa um conjunto de critérios, práticas e políticas adotadas pelas empresas, no sentido de direcionar os processos internos, as interações com o mercado e a evolução do negócio de modo favorável à sustentabilidade ambiental.

A sigla “ESG” significa Environmental, Social and Governance — ou seja, Ambiental, Social e Governância. Esses são os três pilares que devem nortear os processos internos e externos de uma empresa consciente de sua responsabilidade social e ambiental.

A expressão surgiu no relatório Who Cares Wins (“quem se importa vence”, em tradução literal) em 2005, em uma iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas). O documento é referente a uma reunião entre instituições financeiras mundiais, visando definir diretrizes voltadas a questões ambientais, sociais e de governança em critérios do mercado financeiro.

Atender aos três pilares do ESG é uma forma de fazer uma verdadeira gestão 360°. Confira, a seguir, detalhes sobre cada um deles.

Environmental: o pilar ambiental

O pilar ambiental diz respeito a um conjunto de boas práticas voltadas para a preservação dos recursos naturais, entre outros aspectos relacionados à sustentabilidade. Em outras palavras, são medidas implementadas pela empresa para reduzir os impactos ambientais das atividades desenvolvidas.

Alguns exemplos são:

Social: o pilar social

No âmbito social, o ESG se preocupa com as contribuições da empresa à sociedade. Esse pilar trata de ações que apresentam como o negócio se relaciona com as partes interessadas, ou seja, funcionários, clientes, órgãos públicos e a população do entorno.

As práticas guiadas por esse pilar são voltadas, por exemplo, para a inclusão social — incluindo uma preocupação com a diversidade nas empresas —, políticas de trabalho e uma boa relação com a comunidade. Vale ressaltar que há uma preocupação especial com os direitos humanos, que são imprescindíveis de considerar em qualquer ambiente ou modelo de atuação.

Governance: o pilar da governança

Esse pilar trata das questões associadas à gestão e administração da empresa. A ideia é garantir o desenvolvimento de uma gestão transparente e ética, com base em fatores técnicos e no desenvolvimento do capital humano.

Algumas práticas adotadas nesse sentido são a realização de auditorias e a implementação de um canal de denúncias, bem como a busca por uma conduta corporativa íntegra, transparente e ética e por qualidade na relação com órgãos públicos.

Qual a importância do ESG no mercado?

Uma empresa que busca se adequar aos princípios ESG demonstra ao público e a potenciais investidores uma consciência socioambiental bem desenvolvida, o que acrescenta valor à marca e beneficia sua reputação. Além disso, ela melhora sua gestão de pessoas e de riscos, reverberando positivamente na relação com a clientela, fornecedores e outras instâncias.

Mas o ponto mais importante é que a empresa contribui para melhorias na sociedade e na forma como o mercado se relaciona com o meio ambiente, desempenhando um papel importante nesse aspecto.

Ao aderir ao ESG, portanto, a empresa combina a qualidade operacional, o aumento do potencial competitivo, a redução de impactos ambientais e a contribuição social. Esse é, portanto, um conceito revolucionário para o mercado.

Quais as vantagens do ESG no setor alimentício?

O segmento alimentício é um dos mais importantes e movimentados da economia. Portanto, uma atuação conforme o modelo ESG nesse setor tem uma reverberação especialmente importante no mercado, na sociedade e no meio ambiente.

Ao investir em práticas ESG, um estabelecimento do ramo alimentar consegue:

  • agregar valor ao negócio;
  • reduzir custos de produção;
  • garantir mais regularidade legal;
  • ganhar credibilidade diante do público;
  • ter mais facilidade em reter e fidelizar clientes;
  • melhorar o desempenho dos pedidos;
  • aumentar as chances de ser referência em seu mercado;
  • reduzir desperdícios e perdas, tanto em relação a ingredientes como a embalagens;
  • aumentar a satisfação e o engajamento dos funcionários.

Além disso, segundo estudos, o público dá preferência a negócios que prezam por questões sociais e ambientais. Portanto, esse é um aspecto relevante em relação à captação e fidelização de clientes, bem como para o sucesso do negócio como um todo.

Por onde começar a implantar o ESG no seu negócio?

A implementação do ESG representa uma mudança na cultura organizacional. Portanto, é necessário evoluir de forma gradual, além de fazer isso por meio de ações efetivas e consistentes.

A gestão deve considerar a realidade do mercado, os objetivos e o orçamento da empresa, a fim de implementar medidas sem provocar danos.

Confira os primeiros passos para implementar esse conceito no seu estabelecimento!

Crie um conselho para o ESG

As ações ESG devem fazer parte do planejamento estratégico, pois envolvem aspectos financeiros e gerenciais. Portanto, crie uma equipe específica para lidar com a implementação da metodologia e treine cada profissional nos preceitos desse modelo.

É importante considerar o planejamento financeiro, as responsabilidades envolvidas, a estruturação das políticas a ser adotadas e a definição de prioridades. Também é necessária a criação de um cronograma, com base nas prioridades estabelecidas.

Defina um planejamento e práticas

Após criar um conselho responsável por direcionar as práticas ESG, é importante definir um planejamento específico, eficaz e focado no longo prazo. Avalie os pilares e princípios do modelo e, então, levante as boas práticas que podem ser implementadas no seu negócio, em etapas e de maneira consistente.

Estabeleça estratégias para aprimorar ações

Assim como sua empresa está em constante progresso, o ESG é um conceito em evolução. Então, não basta implementar melhorias nos aspectos sociais, ambientais e de governança corporativa e depois deixar o assunto de lado. É preciso acompanhar tudo de perto e buscar a melhoria contínua das ações, com o objetivo de potencializar os resultados.

O ESG é um conceito de grande relevância para o mercado no contexto atual, o que inclui o setor alimentício. Portanto, buscar estratégias para adaptar o seu negócio e aprimorá-lo cada vez mais é fundamental para garantir os melhores resultados.

Você já sabe que um dos pilares do ESG tem muito a ver com responsabilidade social. Aproveite a visita e aprenda o que é responsabilidade solidária na prática!

Por iFood

Por iFood

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções

19/05/2024

Promoção de vendas: 5 dicas para o seu sucesso