GMV: o que significa, importância e como calcular?

O que é para que serve o GMV? Como o seu cálculo pode ser usado no comércio alimentício? Leia este post para entender!

Com a ascensão dos serviços de entrega e de plataformas digitais dedicadas ao comércio, gestores de bares, restaurantes, lanchonetes e afins também necessitam de meios precisos para mensurar os lucros obtidos em transações online. O GMV é uma métrica totalmente adaptada a esse contexto.

Negócios que fazem uso dele conseguem entender quanto cada venda está gerando para o negócio, com a opção de aplicar o recurso a diferentes períodos. Assim, fica mais fácil acompanhar as vendas e entender onde é preciso investir.

Continue a leitura do post para entender melhor o que é GMV e como realizar o cálculo, além de descobrir métricas complementares!

O que é GMV?

A sigla GMV significa Gross Merchandise Volume — o que pode ser traduzido como Volume Bruto de Mercadorias. Ela é referente à mensuração do valor total das vendas de um estabelecimento dentro de um período específico de tempo.

O indicador considera o preço de cada produto vendido e é voltado para o comércio online. Ou seja: ele ajuda empreendedores a fortalecer estratégias baseadas na internet.

Essa métrica é usada regularmente para calcular o volume bruto de mercadorias vendidas nas plataformas digitais nas quais a empresa esteja inserida. No caso de estabelecimentos do serviço alimentar, é perfeita para mensurar os lucros do serviço de entregas.

Para que serve o GMV?

O GMV é utilizado para medir o desempenho do estabelecimento na internet, como em marketplaces e outras plataformas digitais. Não à toa, a métrica foi popularizada por empresas como eBay e Amazon.

Essas empresas passaram a utilizá-lo para monitorar as vendas e descobrir em quais estratégias eles deveriam centrar seus esforços. Por ser um indicador versátil, ele pode ser implementado em qualquer negócio e se tornar um importante aliado da gestão empresarial.

Empreendedores podem utilizar o GMV no planejamento estratégico do negócio e garantir informações mais precisas para descobrir as áreas que precisam de mais investimentos

Como calcular o GMV corretamente?

A fórmula mais simples é partir do preço de venda final para o cliente e multiplicá-lo pelo número de produtos vendidos, mas não existe maneira única de calcular o GMV. Entenda algumas formas a partir dos exemplos a seguir.

Primeiro método

GMV = preço de venda ao consumidor x número de produtos vendidos

Exemplo: uma hamburgueria que venda um hambúrguer de frango por R$ 25, por exemplo, resolve aplicar o GMV em um mês. Em julho, o empreendimento vendeu 310 vezes esse pedido — uma média mensal de 10.

Você precisa ter em mãos o número de produtos vendidos e o preço final repassado aos clientes. O GMV é o resultado da multiplicação desses dois valores:

GMV = 25 x 310 = R$ 7.750

É importante notar que o valor encontrado se refere ao preço final do produto e não considera os gastos para produzi-lo.

Segundo método

A segunda forma de calcular a métrica é multiplicar o número de vendas totais pelo valor médio do pedido (geralmente apresentado nessa fórmula como AOV — average order value, que significa, justamente, valor médio de pedido).

O AOV representa o valor médio de gastos de cada cliente. Pode ser usado tanto individualmente como considerando a média de todos os consumidores em um período.

Portanto, se a média de gastos de todos os clientes em um determinado mês for de R$ 60 e 600 pedidos foram vendidos, o cálculo fica assim:

GMV = número de transações totais x valor médio do pedido (AOV)

GMV = 600 x 60 = R$ 3.600

Cálculo com despesas inclusas

Esse terceiro cálculo não costuma ser aplicado como um dos exemplos de cálculo do GMV, mas repare que você também pode adaptar o seu cálculo para listar o que foi gasto para produzir cada pedido, de modo similar à fórmula da margem de lucro.

Caso aquele hambúrguer de R$ 25 precise de R$ 10 para ser produzido, basta complementar esse primeiro cálculo com outra conta:

Número de transações totais (R$ 310) x custo médio de produção do pedido (R$ 10) = R$ 3.100

Ao combinar os dois cálculos, subtraindo os valores resultantes, tem-se uma boa noção do lucro real, já que custos de produção são descontados. Nesse caso, aos lembrar do valor obtido com a venda do produto em julho (R$ 7.750), chega-se ao valor que o estabelecimento faturou, com as despesas (R$ 3.100) descontadas: R$ 4.650.

Ao calcular essa variação do que foi gasto e do que foi recebido, gestores de comércios alimentícios terão mais precisão na precificação de produtos, por exemplo.

Quais métricas podem complementar o GMV?

O GMV é só uma das muitas métricas que ajudam empreendedores a acompanhar os seus resultados financeiros. Também é possível calcular o gasto para conquistar cada cliente, a taxa de rotatividade e outros fatores. Confira outros indicadores que ajudam muito nesse processo.

Custo de Aquisição do Cliente (CAC)

O Custo de Aquisição do Cliente é um indicador que mostra o quanto o estabelecimento gastou para atrair um cliente para o negócio. Sua fórmula é:

CAC = Total de gastos de divulgação / número de clientes adquiridos

Portanto, se uma hamburgueria gastou R$ 24 mil em um ano em divulgação e conseguiu adquirir 300 novos clientes, o CAC daquele ano foi de R$ 80.

Rotatividade

A rotatividade, ou churn, se refere à taxa de rotatividade dos consumidores. Ele relaciona quantos clientes cancelaram contratos ou deixaram de comprar regularmente em um estabelecimento. Seu cálculo é:

Churn = número de clientes cancelados no período / número de clientes ativos no início do período

Escala de promoção da rede

A escala de promoção da rede, também conhecida como net promoter score (NPS), é uma espécie de indicador de lealdade dos clientes à empresa. Ela não tem uma fórmula, mas pode ser obtida de modo bem simples.

Um exemplo é a nota que os pedidos recebem após a entrega do delivery. Quanto maior for o valor, mais satisfeitos os clientes estarão — e mais inclinados a se tornar consumidores regulares e ainda indicar o estabelecimento para outras pessoas.

Valor médio de consumo

O valor médio de consumo, mencionado anteriormente, também é conhecido como ticket médio ou AOV (average order value). Esse indicador mede quanto os clientes gastam, em média, com o estabelecimento. Sua fórmula é:

Ticket médio = faturamento total do período / número de vendas realizadas no período

Todos esses indicadores são pertinentes para avaliar o desempenho do negócio, juntamente com o GMV, usado para mensurar, com precisão, os ganhos obtidos em plataformas digitais. Não à toa, algumas das principais empresas de e-commerce utilizam o cálculo para entender a dimensão financeira do negócio. Ele também é ideal para gestores de comércios alimentícios que aceitam pedidos de entrega online.

Métricas são importantes para a saúde financeira do seu negócio, mas não são o único ponto que merece destaque. Conheça também 8 passos essenciais para o sucesso na gestão financeira de um restaurante!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery