Leis Trabalhistas: principais direitos da CLT hoje

O que você sabe sobre leis trabalhistas? Descubra quais são os direitos e deveres dos profissionais e do seu negócio!

Conhecer as leis trabalhistas e, principalmente, o que é preciso fazer para garantir o bem-estar dos colaboradores do seu negócio são passos fundamentais. Afinal, garante que os profissionais recebam seus direitos e se sintam valorizados dentro do ambiente de trabalho.

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Mas as pessoas empreendedoras precisam se atualizar para as mudanças recentes na legislação. Isso porque podem causar impacto nos negócios, e saber aplicá-las rapidamente faz toda a diferença para garantir uma boa gestão de equipes e o cumprimento das obrigações trabalhistas.

Neste artigo, saiba mais sobre os principais direitos previstos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e se atualize sobre as leis trabalhistas com Taíne Hoffmann, formada em Administração de Empresas!

Jornada de trabalho e horas extras

Conforme a CLT determina, a jornada de trabalho para quem atua em empresas privadas deve ter a previsão de, no máximo, 8 horas diárias. Além disso, traz mais uma consideração, de que o tempo trabalhado na semana não deve ultrapassar 44 horas.

Qualquer excedente de horas da jornada de trabalho prevista no contrato de trabalho e nas leis é considerado hora extra e deve ser devidamente compensado. Nesse caso, as regras são as seguintes:

  • as horas extras devem ser pagas conforme o salário-hora, somado a 50% de acréscimo em dias úteis e 100% em domingos e feriados;
  • ou as horas extras são contabilizadas em um banco de horas, que permite aos colaboradores tirarem de folga do tempo excedente em outros dias.

Vale a pena destacar também que os colaboradores que trabalham no período da noite têm direito a um adicional noturno de 20% do salário-hora. Sendo assim, é importante considerar esse valor ao calcular a remuneração dos profissionais da entrega, atendentes, cozinheiros e demais cargos no seu negócio, a depender do horário de funcionamento.

Férias remuneradas e abono pecuniário

A CLT também dá aos trabalhadores o direito a férias remuneradas de até 30 dias por ano. Para calcular quanto cada profissional deve receber pelas suas férias, é necessário pegar o salário e adicionar ⅓ do valor.

Além disso, existe a possibilidade de negociar com os profissionais, por meio do abono pecuniário. Os colaboradores podem escolher vender, no máximo, um terço dos dias de suas férias, embora o equivalente ao restante dos dias deve ser pago em dinheiro.

Salário e remuneração variável

Todo trabalhador tem direito a um salário, negociado antes da contratação, com a possibilidade de ajustes em comum acordo. Desse modo, o valor deve ser registrado na Carteira de Trabalho e no contrato.

Os empreendedores, por sua vez, devem fazer o pagamento do salário até o quinto dia útil do mês. Em caso de atrasos ou descumprimento do acordo, existe a possibilidade de cobrança de multa.

Há ainda a remuneração variável, que são adicionais ao salário que a empresa pode pagar aos colaboradores, como bônus, comissão de vendas, programa de incentivos e demais estratégias de reconhecimento do esforço e motivação no trabalho. Geralmente, esse valor adicional é depositado junto ao pagamento mensal.

Benefícios e auxílios previstos em lei

É uma tendência na área dos Recursos Humanos e de Recrutamento e Seleção a oferta de benefícios aos colaboradores. Além de atrair mais talentos para a empresa, oferecer mais vantagens é uma maneira de aumentar o engajamento dos profissionais.

Mas vale destacar que existem alguns benefícios e auxílios previstos por lei. Esse é o caso do vale-transporte, que garante que o profissional tenha a redução dos custos de deslocamento da sua casa até o ambiente de trabalho. Esse pagamento não pode exceder 6% do valor bruto do salário registrado na Carteira de Trabalho.

Outros benefícios previstos em lei são:

  • férias remuneradas;
  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) — depósito mensal de 8% do valor do salário, que pode ser sacado futuramente;
  • contribuição ao INSS — de, no mínimo, R$ 105,90 por mês para os profissionais com carteira assinada;
  • 13° salário — remuneração anual adicional, que pode ser paga em duas parcelas, obrigatoriamente até os meses de novembro e dezembro;
  • licença-maternidade — de 120 dias para parto, natimorto e adoção de crianças de até 12 anos.

Licenças e afastamentos

Além da licença-maternidade, os profissionais têm direito a outros tipos de afastamentos no trabalho, como:

  • licença-paternidade — obrigatório por um dia, no nascimento do filho ao longo da primeira semana, e de 5 dias após o parto;
  • licença médica — em caso de problema de saúde, que pode durar até 15 dias. Após esse prazo, é iniciado o auxílio-doença, coberto pelo INSS;
  • licença-óbito — por até 2 dias seguidos, em caso de falecimento de pessoas próximas, como pais, filhos, cônjuges, irmãos ou indivíduos que viviam sob a sua dependência econômica;
  • licença-casamento — por até 3 dias seguidos após se casar;
  • licença militar — em caso de serviço militar obrigatório, em que o profissional deve receber o seu salário normalmente durante os primeiros 90 dias de afastamento.

Equiparação salarial e discriminação no ambiente de trabalho

Vale a pena destacar que existe a Lei da Igualdade Salarial em regulamentação. A legislação prevê a transparência da empresa e o pagamento dos mesmos critérios de remuneração para homens e mulheres que atuam na mesma função. Essa é uma iniciativa para garantir a equiparação salarial.

Além disso, profissionais que sofrem discriminação no ambiente de trabalho por questões raciais, sexuais, étnicas, etárias e demais características pessoais, podem entrar com ação trabalhista de indenização por danos morais. Sendo assim, é fundamental garantir uma cultura organizacional respeitosa no ambiente de trabalho.

Conhecer e seguir as normas trabalhistas influencia diretamente na qualidade do clima organizacional que se cria diariamente. Normas claras e respeitadas garantem que os colaboradores se sintam valorizados e seguros, consequentemente, isso reduz conflitos e proporciona um ambiente de trabalho mais harmonioso e propenso à colaboração”, destaca a especialista Taíne Hoffmann.

Normas para demissão e rescisão contratual

Algumas normas são aplicadas para o desligamento do profissional do quadro de colaboradores. A rescisão contratual sem justa causa e sem aviso prévio, por exemplo, dá o direito ao trabalhador de receber uma multa de 40% sobre o valor recolhido no FGTS e ao saque de todo o fundo de garantia.

Quando a demissão ocorre por meio de um acordo com a empresa, o profissional tem direito ao saque de 80% do valor recolhido para o FGTS e pode receber 20% de multa, paga pelo negócio, com base nesse valor.

Vale destacar também que os documentos que comprovam a demissão e os pagamentos da rescisão devem ser entregues em até 10 dias após o término do contrato. Além disso, o negócio só é isento das multas rescisórias em caso de demissão por justa causa.

Para Taíne, “entender as leis e os direitos trabalhistas previstos na CLT é um pilar fundamental para a construção de uma gestão de Recursos Humanos justa e respeitosa com a equipe”. Por conta disso, vale continuar se atualizando sobre as leis trabalhistas e consultar periodicamente especialistas em RH ou em questões jurídicas. Assim, é possível evitar práticas ilegais, multas e problemas no ambiente de trabalho.

Quer saber como ter mais facilidade na gestão dos profissionais? Saiba como fazer o controle de ponto e ter mais praticidade para registrar os horários de trabalho!

Author picture

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

11/07/2024

Growth Marketing: entenda como aplicar no negócio para aumentas as ...

10/07/2024

Case de sucesso: entenda como o Forno Paulista voou com o iFood

10/07/2024

Como transformar o Dia Mundial do Rock em uma oportunidade de vendas

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery