NIRE: o que é, onde encontrar e como obtê-lo!

Você sabe o que é NIRE? Para saber do que se trata, como consultá-lo e sua importância, entre outras informações, confira este post!

Se você empreende, é muito provável que em algum momento já tenha ouvido falar sobre o NIRE. Caso o seu estabelecimento exista há mais de três anos, possivelmente você já precisou desse número para emitir alvarás ou notas fiscais, entre outros documentos.

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Esse código tem a função de comprovar a legalidade do empreendimento na Junta Comercial dos Estados. Entretanto, em 2019, ele deixou de ser obrigatório, após a Lei de Liberdade Econômica entrar em vigor.

Entenda sobre o NIRE e como obtê-lo!

 O que é NIRE?

A sigla “NIRE” significa “Número de Identificação do Registro de Empresas“. Da mesma forma que o CNPJ funciona como CPF de uma empresa, o NIRE é semelhante um RG para a pessoa jurídica.

Trata-se de um código composto por uma sequência de 11 dígitos, exclusiva de cada negócio. Ele é emitido em uma Junta Comercial no momento da formalização, e o número informa o tipo de empresa e o código do Estado do empreendedor, além de um dígito verificador e o registro em si.

Apesar de o NIRE ter sido criado para incluir todo tipo de empresa, ele sempre foi mais importante para negócios relacionados a área do comércio, o que inclui o ramo alimentício. Nesse sentido, o número NIRE comprova a regularidade no comércio de alimentos, de modo que é de suma importância em uma gestão de restaurante, bar, lanchonete ou semelhante.

Como consultar o NIRE de um negócio?

Só é possível consultar o NIRE se seu estado ainda gera esse número. Para saber isso, é necessário entrar no site da Junta Comercial da sua região ou ir até ao local, com o CNPJ em mãos.

No entanto, com a mudança na obrigatoriedade do código, essa informação não existe mais em diversos estados brasileiros, não sendo possível encontrar o NIRE do seu empreendimento. Se você se deparar com essa situação, não se preocupe: isso quer dizer que o número não é mais necessário.

Qual a diferença entre NIRE e Inscrição Estadual?

Justamente por ser um registro importante para os estabelecimentos que atuam no ramo do comércio, é que o NIRE é confundido com a Inscrição Estadual. No entanto, eles são números distintos, com funções diferentes.

O NIRE é o número exclusivo de registro de um estabelecimento na Junta Comercial. Já a Inscrição Estadual é o registro da pessoa jurídica, também feito na Junta Comercial, com a finalidade de torná-la contribuinte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), recolhido ao comercializar serviços ou produtos.

Em suma, o NIRE é uma identificação da empresa, enquanto a Inscrição Estadual funciona como uma autorização para a venda de produtos sujeitos ao ICMS.

Por que o NIRE é importante?

Ao ser emitido, o NIRE é utilizado para atestar a existência da empresa. Para ocorrer a formalização de atividades comerciais, é necessário o registro nos órgãos competentes — e ter a posse do NIRE, em regiões em que ele ainda permanece, é a primeira etapa para emitir os demais documentos.

Ao iniciar o processo de abertura da empresa, o empreendedor precisa se cadastrar na Junta Comercial e, somente após ter o registro em mãos, será possível gerar o CNPJ. Por isso, o NIRE é se torna fundamental para a regularidade do empreendimento, inclusive para que ele consiga ter acesso a benefícios como:

Embora tenham seu cadastro feito na Receita Federal, as pessoas jurídicas que se enquadram na categoria Microempreendedor Individual (MEI) também contam com o NIRE. Com esse registro, o empresário consegue alterar dados do CNPJ MEI e incluir novas atividades exercidas.

Para os demais empreendimentos, abrir um registro na Junta Comercial é uma forma de assegurar ainda mais a segurança fiscal da empresa, já que facilita garantir a legalidade do negócio quando houver fiscalizações. Com isso, evitam-se apreensões, multas e a suspensão das atividades, o que é totalmente favorável para qualquer gestão empresarial.

Como obter o NIRE?

A Junta Comercial, é o órgão que emite o NIRE. Antes disso, no entanto, é necessário saber se existe outra pessoa jurídica com o mesmo nome fantasia, isto é, se o nome está disponível para registro.

Depois, é só comparecer à Junta Comercial com os devidos documentos:

  • cópia Autenticada da Identidade dos administradores ou do titular;
  • preenchimento do Requerimento da Junta Comercial;
  • preenchimento da Ficha de Cadastro Nacional;
  • Contrato Social, Ata de Assembleia Geral de Constituição ou Requerimento de Empresário Individual;
  • DARF (Documento de Arrecadação da Receita Federal);
  • pagamento de taxas com a Guia de Recolhimento.

Após a aprovação dos documentos, os dados do estabelecimento ficam disponíveis, podendo ser consultados na Junta Comercial. Dessa forma, o NIRE é uma maneira de comprovar a abertura da organização e sua regularidade.

É importante ressaltar que, no caso de qualquer alteração nas informações empresariais, será necessário fazer a atualização na Junta Comercial.

O NIRE realmente não é obrigatório?

Com a Lei de Liberdade Econômica que entrou em vigor em 2019, o NIRE deixou de ser obrigatório. Essa medida teve como finalidade simplificar o processo de abertura das empresas e contribuir com a gestão financeira dos estabelecimentos, já que a ideia é promover a desburocratização.

No entanto, muitos estados ainda estão atualizando seus sistemas para não haver a obrigatoriedade do registro. Ou seja, existem algumas Juntas Comerciais que ainda podem requerer o NIRE para a abertura de empresas, e esse número pode ser solicitado em algum momento.

Não é possível saber quais Juntas Comerciais, exatamente, ainda exigem o NIRE, mas a emissão do registro acontece no momento de fazer os procedimentos para a Inscrição Estadual do estabelecimento. Anteriormente, o código era gerado online, no Portal do Empreendedor — mas já não é o caso.

Apesar de não ser obrigatório, o NIRE é um registro essencial para que os empreendimentos tenham a sua legalidade comprovada. Além disso, é bem simples de ser emitido e garante o acesso a diversas vantagens, como regularidade e segurança.

Se você quer ver mais posts como esse, siga o iFood para Parceiros no Instagram e inscreva-se no canal do YouTube!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

21/05/2024

Melhoria contínua: o que é, objetivo e como aplicar

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery