Patrimônio líquido: o que é e como calcular

Entenda o que é patrimônio líquido e como esse indicador pode ajudar a medir a saúde financeira do seu negócio!

Medir a riqueza de uma empresa considerando suas obrigações financeiras pode ser uma tarefa desafiadora. Uma maneira de obter esses números é por meio do cálculo e do acompanhamento do patrimônio líquido.

Esse indicador é fundamental para mensurar a saúde financeira da empresa e também para mapear ativos e passivos. Ele leva em conta tudo o que negócio tem, mas sem deixar de lado as despesas que devem ser monitoradas.

Continue a leitura para entender de uma vez por todas o que é patrimônio líquido e como calculá-lo.

O que é patrimônio líquido?

É um indicador que mostra quais são os recursos da empresa, que realmente pertencem aos sócios do negócio. Também pode ser definido como a diferença entre os ativos e os passivos que ela tem.

Os ativos são os bens e direitos da empresa em um determinado período. É tudo o que pode ser convertido em valores monetários: em um estabelecimento do ramo alimentício, por exemplo, é o dinheiro em caixa, as duplicatas a receber, os estoques de produtos, os equipamentos de preparo.

Caso a pessoa proprietária do empreendimento opere em um imóvel próprio, ele também entra na conta dos ativos. Já os passivos são aquelas obrigações que o estabelecimento tem em relação aos terceiros, como empréstimos, dívidas e contas a pagar.

De modo geral, o patrimônio líquido é representado pelos bens e direitos que uma empresa tem, como dinheiro em caixa e equipamentos, menos as suas obrigações — como dívidas.

Para que serve o patrimônio líquido?

Compreender o próprio patrimônio líquido é fundamental para planejar investimentos e decidir se o empreendimento precisa fazer aportes naquele momento. Com ele, será possível verificar se o negócio tem recursos disponíveis para expandir as operações em curto prazo, por exemplo.

Além disso, quando esse indicador é acompanhado em sua evolução histórica, será possível verificar as oscilações financeiras da empresa. Um empreendimento que tenha esse indicador positivo terá recursos para realizar projetos e implementar novos produtos, como inovações no cardápio que demandem dinheiro.

Do mesmo modo, o patrimônio líquido negativo mostra que o estabelecimento tem mais passivos que ativos. Isso significa que as dívidas são maiores que os recursos próprios. Nessa situação, o indicador mostra que há problemas financeiros e má administração do negócio.

Quais as contas que fazem parte do patrimônio líquido?

O patrimônio líquido é constituído por diversas contas. Fique sabendo quais são elas na sequência!

Capital social

O capital social é o dinheiro que será colocado à disposição da empresa por cada uma das pessoas sócias, por bens financeiros ou materiais. Trata-se do valor que será investido para que o estabelecimento dê o pontapé inicial em sua operação.

Quando alguém decide inaugurar um comércio alimentício, uma série de ações devem ser tomadas:

  • elaboração de um plano de negócios;
  • escolha do ponto para a instalação do estabelecimento;
  • definição dos itens do cardápio;
  • lista de ingredientes que serão de uso recorrente;
  • estudo e implementação da precificação de produtos;
  • colaboradores que serão contratados e o salário inicial de cada um deles;
  • despesas com aluguel e contas de energia, água e outros nos primeiros meses.

O capital social é o dinheiro que engloba todos esses gastos. Como é o valor a ser aplicado no início da operação, ele também costuma ser chamado de “capital inicial”.

É muito importante entender que esse capital não é estático: cada vez que uma pessoa sócia retirar um valor ou investir mais, esse capital também deverá ser alterado para o cálculo do patrimônio líquido.

Reservas de lucro e de capital

Outra ramificação do patrimônio líquido é representado pelas reservas de lucro e de capital. Uma parte dos lucros gerados na operação são destinados a constituir reservas com algum propósito específico. São exemplos:

  • reserva legal;
  • reserva estatutária;
  • reserva de incentivos fiscais;
  • reserva de lucros a realizar;
  • reserva destinada às contingências;

De acordo com a Lei Nº 6.404/76, em seu artigo 193, a reserva legal — em um dos exemplos — deve ser reservada por 5% do lucro líquido do empreendimento e o valor máximo é de 20% do capital social da empresa.

Ajustes de avaliação patrimonial

Esses ajustes são resultado da avaliação dos bens do empreendimento de acordo com o cálculo do valor justo — isto é, o montante pelo qual um ativo pode ser negociado em uma transação entre duas partes independentes entre si.

Ações em tesouraria

As ações em tesouraria são aquelas emitidas por uma empresa e depois recompradas pela mesma organização no mercado.

Isso costuma ocorrer quando a empresa acredita que o preço das suas ações está desvalorizado. Também é comum que o empreendimento decida readquirir os papéis para promover programas de incentivo a colaboradores.

Lucros ou prejuízos acumulados

Esses são os resultados positivos e negativos presentes nas Demonstrações de Resultados dos Exercícios, as DREs. De acordo com a legislação, toda empresa precisa elaborar esse documento. A regra também se aplica a quem se enquadra no Simples Nacional, com única exceção para MEIs.

Ao fim da elaboração, caso o estabelecimento obtenha resultados negativos (prejuízos) e a empresa não tenha lucros acumulados para absorvê-los, esse valor será subtraído das reservas do negócio.

Como calcular o patrimônio líquido?

A fórmula para o cálculo do patrimônio líquido é muito simples:

Patrimônio líquido = ativos – passivos

As informações relacionadas aos ativos e passivos constam, principalmente, do balanço patrimonial. O relatório é feito com duas colunas. Em um lado, são descritos os ativos e, no outro, os passivos. Na parte de baixo, será possível encontrar o valor do patrimônio.

Um exemplo do cálculo: um restaurante é inaugurado por 4 pessoas sócias. Cada uma delas injeta R$ 30 mil no negócio. Dos R$ 120 mil, R$ 80 mil são gastos em equipamentos, insumos, despesas e no salário de colaboradores pelos primeiros 3 meses.

Assim, dos R$ 120 mil iniciais (ativos), R$ 80 mil são utilizados imediatamente. Contudo, logo no primeiro mês, o estabelecimento já começa a obter um lucro líquido de R$ 10 mil mensais. Ao final desse mês, o patrimônio líquido é atualizado de R$ 40 mil para R$ 50 mil. Esse cálculo será atualizado mês a mês.

Qual a diferença entre patrimônio e patrimônio líquido?

O patrimônio é todo o conjunto de bens, obrigações e direitos de uma empresa. A diferença para o patrimônio líquido é que o segundo subtrai as obrigações na equação: nesse sentido, ele proporciona uma visão mais realista do faturamento.

O patrimônio líquido é um indicador dedicado a mapear a riqueza de um empreendimento. Ele pode ser analisado de forma contínua, como uma maneira de garantir que a administração financeira está sendo bem-feita e se uma determinada situação é a ideal para investimentos.

Gostou deste post? Então, complemente sua leitura com este outro artigo sobre os 8 passos essenciais para atingir o sucesso na gestão financeira do seu restaurante!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

17/05/2024

Desvendando o ciclo do pedido: etapas, como medir e desafios

16/05/2024

À la carte: o que é, como funciona e dicas essenciais

15/05/2024

Negócios lucrativos: quais são e como garantir sucesso?

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery