O que é plano de contas contábil, quais as vantagens e melhor estrutura!

Você sabe o que é o plano de contas contábil, quais as vantagens e a estrutura? Leia este artigo e descubra!

Existem algumas ferramentas fundamentais a uma gestão eficiente, e uma delas é o plano de contas contábil. Contudo, é necessário considerar também o fato de ele ser desenvolvido de maneira personalizada conforme a empresa, já que trabalhará com as informações financeiras do estabelecimento em questão.

Esse é um instrumento que ajuda muito a atuação do profissional contábil, pois registra com segurança as movimentações financeiras, codificando-as e classificando-as com o intuito de apresentar a utilização de cada recurso ao gestor.

Caso você ainda tenha dúvidas sobre o que é essa ferramenta, como é a sua estrutura, quais as vantagens e como fazer um plano de contas contábil no seu estabelecimento, está no lugar certo. Boa leitura!

O que é o plano de contas contábil?

O plano de contas contábil é um instrumento eficiente de gestão das movimentações financeiras cujo objetivo é identificar as contas de um estabelecimento por meio de classificações e códigos para todos os registros de entradas e saídas.

Na contabilidade, contas é um termo técnico que representa o elemento patrimonial ou de resultados. Essas informações são utilizadas a fim de gerar relatórios indispensáveis, como o Balanço Patrimonial (BP) e o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício).

Além disso, ao criar um padrão de identificação e classificação das contas, todos os documentos, demonstrativos e relatórios terão um modelo para cada tipo de movimentação. Isso contribui com a interpretação dos dados, amplia o nível de detalhamento e agiliza a estruturação de relatórios para o gestor contábil.

A estrutura-base é dividida em quatro diferentes grupos, cada um deles com subdivisões, que especificam e detalham ainda mais as contas. Por último, o plano é concluído com as contas de apuração de resultados.

Qual a sua estrutura?

O plano de contas contábil deve seguir as normas do regime tributário. Além disso, tem como base os Princípios Fundamentais de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade. Os quatro grupos principais de um plano de contas contábil são separados em subdivisões. Veja a seguir quais são!

Ativos

São as contas que fazem parte do patrimônio da empresa, sendo considerados bens não palpáveis. É possível citar linhas de crédito, empréstimos, faturamento, contas bancárias e todos os valores investidos pelo próprio estabelecimento. Os ativos podem ser divididos em:

  • circulantes: são os bens movimentados em menos de 1 ano (contas bancárias e dinheiro em caixa);
  • não circulantes: são as contas a receber com prazo maior que 1 ano;
  • imobilizados: são os bens e os imóveis.

Passivos

São as obrigações financeiras da empresa, como impostos, tributos, dívidas a serem quitadas, parcelas de empréstimos e contas a pagar. Dessa maneira, os passivos podem ser divididos em:

  • circulantes: são as contas de curto prazo, com até 1 ano para pagar;
  • não circulantes: são as contas a longo prazo, com mais de 1 ano;
  • patrimônio líquido: é o patrimônio da empresa, o capital social dos acionistas e dos sócios.

Receitas

São todos os valores decorrentes da venda de serviços e produtos que entram no caixa da empresa, além dos rendimentos de investimentos, como a renda de aluguéis. Logo, as receitas podem ser divididas em:

  • operacionais: são as receitas geradas pela prestação de serviços e vendas;
  • não operacionais: são as receitas geradas indiretamente, como a venda de um imóvel imobilizado.

Despesas e custos

Despesas e custos são as contas passivas referentes aos pagamentos realizados a colaboradores e fornecedores. Também estão relacionados à compra de equipamento, maquinário e acessórios para a produção, por exemplo. Portanto, as despesas e custos podem ser divididas em:

  • operacionais: referente à manutenção da operação, como as despesas administrativas;
  • não operacionais: não está relacionado com a operação, como doações e patrocínios.

Quais as vantagens?

Caso você esteja pensando em fazer um plano de contas contábil, é necessário entender o cenário. É essencial que você estruture o seu, principalmente se precisa emitir o DRE ou o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC). Confira a seguir como esse instrumento pode ser valioso para a sua estratégia!

Contribui para a tomada de decisões acertadas

O plano de contas contábil é um guia para seu planejamento estratégico. Essa ferramenta garante que você melhore sua avaliação da situação econômica, otimize os relatórios financeiros e tenha mais precisão na administração e na gestão de restaurante, por exemplo.

Garante o cumprimento das obrigações fiscais

Na prática, além de contribuir com a gestão financeira, o plano de contas contábil também faz com que a empresa cumpra os requisitos fiscais e obedeça aos prazos de todas as obrigações acessórias.

Ajuda na otimização de processos

Por último, é importante destacar que esse é um instrumento que otimiza os processos, principalmente a análise dos dados financeiros.

Logo, com a utilização do plano de contas contábil, é possível otimizar a análise da condição financeira, oferecendo um padrão na classificação, além de simplificar o trabalho operacional de quem faz a organização das contas da empresa.

Como fazer um bom plano de contas contábil para o seu estabelecimento?

Agora que você conhece a importância do plano de contas contábil para uma boa gestão empresarial e como ele pode ser dividido, é necessário seguir algumas etapas com o intuito de facilitar a elaboração e a organização. São elas:

  • organize os documentos financeiros: a organização dos documentos é primordial para elaborar o plano de contas;
  • faça a separação dos grupos: segmente os grandes grupos conforme a descrição e considere as categorias exigidas, como ativos, passivos, receitas e despesas;
  • desenvolva níveis e subdivisões: organize os níveis e as subdivisões levando em consideração os dados do estabelecimento.

Além disso, é necessário destacar a importância da tecnologia nesse processo. Ela contribui com a organização do registro de toda a movimentação financeira das transações.

Conforme o sistema lança as entradas e as saídas, elas são organizadas automaticamente, fazendo o preenchimento do plano de contas contábil a cada movimentação. Dessa forma, fica mais fácil fazer toda a conferência, a apuração dos dados e a emissão dos relatórios obrigatórios.

O plano de contas contábil é uma forma de organizar informações financeiras. Por meio dele, o gestor terá uma base sólida para tomar decisões sobre os rumos do negócio. Para facilitar o trabalho, é possível contar com o auxílio da tecnologia, automatizando tarefas e otimizando o desempenho.

Gostou deste conteúdo? Então, aproveite e conheça agora mesmo os 8 passos essenciais para atingir o sucesso na gestão financeira do seu restaurante!

Por iFood

Por iFood

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Parceiro iFood recebendo pedido.

Assine a newsletter e receba em seu e-mail novos conteúdos que vão ajudar a melhorar o desempenho do seu negócio!

POSTS RELACIONADOS

20/05/2024

Confira como foi o Fórum de Restaurantes de Maio

20/05/2024

Embalagem para marmita: 6 melhores opções

19/05/2024

Promoção de vendas: 5 dicas para o seu sucesso

 

Ingressos disponíveis!

Garanta sua presença no evento que vai mover o mercado de Food Delivery